23.9 C
Vitória
domingo, 5 julho, 2020

A introdução da indústria 4.0 no cenário produtivo capixaba

Leia Também

O que fazer se entregou a declaração de imposto de renda com erro?

O prazo para a entrega do IRPF na última terça-feira (30). Contudo, muitos continuam preocupados pois descobriram que cometeram erros na hora do envio e querem saber como ajustar o documento.

Vila Velha renova contrato de bicicletas compartilhadas

O Bike VV foi renovado por mais três anos e o horário de empréstimos das bicicletas ampliado para 24 horas.

Musical A Bela e a Fera no Diversão em Cena ArcelorMittal Online

A narrativa sobre um jovem príncipe transformado em uma fera vai encantar pais e filhos será transmitida neste domingo (05), nas mídias sociais.

Andaraí lança samba-enredo neste domingo (05)

Por conta da atual situação e da importância do isolamento social, algumas agremiações capixabas já programam o lançamento de seus sambas enredos em ‘lives’ que serão transmitidas ao vivo à comunidade e aos amantes do samba.

A indústria 4.0 se ergue em um sistema cibernético-físico, possibilitado pela virtualização da realidade

Muito em voga recentemente, a ideia de “Indústria 4.0” vem ganhando espaço nos meios empresariais. Mas afinal, o que vem a ser esse novo conceito? E mais: como trazê-lo para o contexto produtivo do Espírito Santo? O termo é aplicado a um tipo de produção descentralizada e interconectada, possibilitada pelas tecnologias mais recentes de comunicação e de tratamento de dados.

Parece complicado, mas se olharmos de modo sistêmico, falamos de um modo de produção interconectado, condizente com os caminhos que a organização moderna do trabalho vem trilhando. A partir de uma confluência de conceitos tecnológicos, a Indústria 4.0 extrapola aquele modelo de produção, sequencial e linear, a que estamos acostumados. Vemos surgir o pressuposto de uma linha evolutiva da industrialização.

Típica da Revolução Industrial, a indústria 1.0 era caracterizada por mecanização e abastecimento por força de água e de vapor. Com forte influência do modelo fordista, a indústria 2.0 foi marcada por produção em massa, linhas de montagem e eletricidade. Inserida na era global, entraram em ação os sistemas de computação, a robótica e a automação, proporcionados pela revolução eletrônica. Agora, a indústria 4.0 se ergue em um sistema cibernético-físico, possibilitado pela interconectividade, pela customização de sistemas e de recursos produtivos e pelas possibilidades de descentralização da produção.

No Brasil, esse paradigma é introduzido de forma contínua. Em 2016, uma pesquisa da Confederação Nacional de Indústrias (CNI) revelou que 48% das indústrias brasileiras adotam as tecnologias digitais. Dois anos depois, vemos que o tema ganha espaço e passa a fazer parte da pauta do contexto produtivo capixaba. Na vanguarda do modelo, temos no protagonismo do Bandes um fator importante para ajudar a criar esse “ponto de virada” para as nossas indústrias.

Com o lançamento da linha de financiamento Bandes Indústria 4.0, a perspectiva de aumento de produtividade e do valor agregado da produção do parque industrial capixaba torna-se ainda mais palpável.

Essa novidade beneficiará toda uma cadeia produtiva, tanto pelo ineditismo dos tipos de sistemas financiados quanto pelas boas condições operacionais, traduzidas em taxas de juros e prazos, que possibilitam às empresas manter seu perfil de competitividade nesse mercado. O empresariado poderá investir em modernização de seu parque industrial com foco na inovação e nas boas práticas de produção, gestão e pesquisa e desenvolvimento de novos produtos e serviços.

Essa abertura pode trazer ainda mais empresas ao patamar de ‘fábricas inteligentes’ no nosso Estado, a partir da implementação de programa de investimentos em pesquisa, desenvolvimento e inovação, de apoio à infraestrutura, aquisição de máquinas, equipamentos e componentes eletrônicos importados, transferência, licenciamento e absorção de tecnologias, despesas relacionadas a patentes e de propriedade intelectual.

Consta que o conceito da Indústria 4.0 foi proposto em um projeto de alta tecnologia do governo da Alemanha, para promover a informatização de manufaturas. Por lá, a ideia vem dando certo. E aqui no Espírito Santo temos um ambiente mais do que favorável para elevarmos nossas indústrias a um patamar superior.


Aroldo Natal Silva Filho Diretor-presidente do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes).

 

Continua após a publicidade

ES Brasil Digital

esbrasil_177
Continua após publicidade

Fique por dentro

O que fazer se entregou a declaração de imposto de renda com erro?

O prazo para a entrega do IRPF na última terça-feira (30). Contudo, muitos continuam preocupados pois descobriram que cometeram erros na hora do envio e querem saber como ajustar o documento.

O exemplo cooperativista para enfrentar crises

O cooperativismo é uma forma cada vez mais eficaz para avançar em momentos de crise, ainda mais num mundo que se desenha cada vez mais colaborativo.

Hoje é o último dia para pedir o auxílio emergencial

Prazo para novos cadastros termina nesta quinta às 23h59. Saiba mais! Para quem ainda não se cadastrou a fim de receber o auxílio emergencial de R$...

Depois de dois meses em queda, produção industrial cresce 7% em maio

Alta é a maior desde junho de 2018 (12,9%), diz IBGE. Confira! A produção industrial brasileira avançou 7% na passagem de abril para maio deste...

Vida Capixaba

Vila Velha renova contrato de bicicletas compartilhadas

O Bike VV foi renovado por mais três anos e o horário de empréstimos das bicicletas ampliado para 24 horas.

Musical A Bela e a Fera no Diversão em Cena ArcelorMittal Online

A narrativa sobre um jovem príncipe transformado em uma fera vai encantar pais e filhos será transmitida neste domingo (05), nas mídias sociais.

Andaraí lança samba-enredo neste domingo (05)

Por conta da atual situação e da importância do isolamento social, algumas agremiações capixabas já programam o lançamento de seus sambas enredos em ‘lives’ que serão transmitidas ao vivo à comunidade e aos amantes do samba.

Live beneficente com repertório de covers e canções autorais

Como a primeira live deixou um gostinho de quero mais, desta vez, o artista reuniu músicos parceiros e fará um show completo pelo YouTube.
Continua após publicidade