Viana: uma gestão que gera oportunidades

Retrospectiva Viana 2017
O município registrou um crescimento no número de microempreendedores de 389% no período de 2012 a 2017

Mantendo o ritmo de desenvolvimento, Viana não cedeu à crise e apostou na geração de emprego e renda

Um cenário de transformação e oportunidades. Viana, que se destacou nos últimos anos com obras em todo o município e vem se tornando referência no Estado no ramo da logística, seguiu 2017 abrindo portas para o desenvolvimento. A aposta é garantir qualificação e apontar, assim, para caminhos na geração de emprego e renda para o cidadão vianense. Mais de duas mil pessoas já foram qualificadas, e o mercado para microempreendedores foi promissor: o Nossocrédito contabilizou o empréstimo de mais de R$ 2 milhões somente neste ano, somando-se aos R$ 13 milhões dos últimos quatro anos.

Viana também tem o melhor saldo acumulado na criação de empregos na Grande Vitória, à frente da capital, de Vila Velha, da Serra e de Cariacica. De janeiro a outubro deste ano, 210 empregos foram gerados no município, que também registrou um salto recorde no número de microempreendedores: 389% de crescimento no período de 2012 até 2017. Somente do ano passado para cá, 600 microempreendedores individuais foram formalizados.

Qualificação e desenvolvimento
Mais de 6 mil pessoas se cadastraram na Agência de Empregos em 2017

Mais de duas mil pessoas participaram de graça dos cursos oferecidos pelo Programa de Qualificação, Geração de Emprego e Renda para o Vianense, o Gerar. As aulas são oferecidas no Centro de Qualificação Profissional, em Viana-Sede, num prédio construído onde, antes, havia uma obra abandonada por anos. Entrar para a faculdade também se tornou realidade por meio do Gerar. Já são 961 bolsas de estudos de nível superior ofertadas em parceria com faculdades particulares como a Fesav, a Faev e a Pio XII. O Gerar também direcionou vianenses para 641 bolsas de nível técnico.
O programa Gerar tem sido a ponte entre o morador e o mercado de trabalho. As atividades são desenvolvidas em duas unidades: uma é o Centro de Qualificação Profissional e a outra é a Agência de Empregos, também localizada na sede do município. Em apenas nove meses de funcionamento, quase 6.400 cadastros já foram feitos na agência, e cerca de 700 encaminhamentos, gerados para empresas de Viana.

Escrituras em mãos!

Outro avanço foi a regularização fundiária no município. O bairro Vila Bethânia, como projeto piloto do programa Lar Legal, já está na segunda etapa, quando mais famílias serão beneficiadas com a facilitação do acesso às escrituras de seus terrenos. Foram entregues 200 certificados neste ano, durante a primeira etapa do programa, e mais 483 lotes serão regularizados já no início de 2018. “O objetivo é regularizar todo o município”, destacou o prefeito Gibson Daniel.

Tecnologia nas escolas

A tecnologia entrou de vez na vida dos estudantes. O Laboratório Didático Móvel passou a fazer parte das aulas de Ciências, Geografia e Matemática, tornando-as mais dinâmicas e interativas. Também nesse contexto, agora as escolas de ensino fundamental contam com o controle de presença por reconhecimento facial, garantindo uma gestão mais eficaz da frequência dos alunos e avisando por SMS aos pais, em caso de falta, sobre a ausência do filho na escola.

De mãos dadas com o dinamismo em sala de aula está o aumento das oportunidades para crianças de 3 a 5 anos que vão iniciar a vida escolar. Mais de 500 vagas serão geradas na educação infantil com os novos Centros Municipais de Educação Infantil. As obras estão em andamento em Caxias do Sul, com o Cmei Guilherme de Almeida Filho, e em Vale do Sol, com o Cmei Joana Batista.

Saúde

Viana e outros municípios capixabas estudam um novo modelo para trazer mais eficiência e custos menores na aquisição de medicamentos para o Sistema Único de Saúde (SUS). Representantes de Itaguaçu, Conceição do Castelo, São Domingos do Norte e Guaçuí, além dos secretários de Saúde de Viana, Serra e Vitória e integrantes da Gerência Farmacêutica da Secretaria de Estado da Saúde, visitaram a equipe do Consórcio Público de Medicamentos do Paraná e conheceram de perto o sistema de consórcio, que é um dos mais econômicos do país.

“Esse é mais um avanço para trazer benefícios para os municípios capixabas. Teremos uma economia expressiva ao comprarmos em conjunto”, disse Gilson Daniel.

Viana também se destacou neste ano por registrar o menor índice de mortalidade infantil da Grande Vitória. De janeiro a agosto, o município contabilizou um coeficiente de 7,38 mortes por mil nascidos vivos, o que significa seis óbitos registrados no período. Nas unidades de saúde, o município registrou cerca de 31 mil consultas.

Quanto à segurança pública, a integração com a região metropolitana também tem gerado avanços. Em abril, Viana apresentou aos municípios da Grande Vitória o aplicativo “Sentinela Viana”, um modelo de ferramenta para otimizar ações de combate à violência. A parceria ganha força, e as Centrais de Videomonitoramento de Viana, Vitória, Vila Velha, Serra, Fundão e Guarapari têm feito reuniões periódicas para aprimoramento dos serviços.


Gilson Daniel


Em seu segundo mandato à frente da Prefeitura de Viana (desde 2013), Gilson Daniel é formado em Contabilidade, pós-graduado em Contabilidade Pública e Gerencial e mestre em Finanças. Ingressou na carreira política em 2008, quando foi eleito vereador no mesmo município.

Quais foram os rumos tomados neste primeiro ano de gestão em Viana?

O trabalho tem sido feito tendo como base o planejamento. O tempo é pouco para executar tantas ações. Dos 1.460 dias para administrar a cidade neste mandato, praticamente 365 já se passaram. Os municípios que querem fazer entregas à população, principalmente projetos que mudem a vida das pessoas, necessitam de um planejamento estratégico. E foi isso que buscamos desde janeiro e estamos executando. Identificamos nossas prioridades, as forças e as fraquezas e traçamos as ações em programas de governo. São esses programas que estão norteando este novo momento. Com o foco no planejamento, já estamos pensando os próximos 20 anos para o município, por meio da Agenda 17/37.

O senhor já observa mudanças nos cidadãos?

O foco desta gestão é mudar a vida das pessoas, oferecendo formação e oportunidades para o mercado de trabalho. Temos alcançado nosso objetivo. Muitas famílias passaram a ter a sua renda por meio do aprendizado obtido nos cursos, e isso tem fomentado o empreendedorismo em muitos.

Com a queda na arrecadação, o que a Administração fez para manter o desenvolvimento da cidade?

As parcerias são essenciais para que o desenvolvimento aconteça. É preciso planejar e ter projetos para captar recursos, seja com o governo estadual, seja com o federal. Por meio de emendas de parceiros, como a senadora Rose de Freitas, conquistamos a Policlínica de Marcílio de Noronha, por exemplo, bem como a Praça da Juventude. Para autorizar essas obras, inclusive, tivemos a presença dos ministros da Saúde e do Esporte em Viana. O nosso Programa de Obras não parou nem mesmo em meio à crise. Hoje, já são mais de 540 obras e mais de R$ 90 milhões investidos desde 2013.

Os pequenos negócios também receberam reforço?

Trabalhamos com várias ações de fomento ao empreendedorismo, por entender que esta é a base da economia local. Hoje, com o programa Viana Empreendedora, o município avançou no fomento ao empreendedorismo. O cenário de crise econômica tem sido superado pelos pequenos empreendedores. O ano de 2017 fecha com mais de R$ 2 milhões em empréstimos concedidos pelo Nossocrédito, ultrapassando o valor do mesmo período do ano passado. Em apenas cinco anos, superamos os números dos 10 anos anteriores: de 2013 a 2017 foram R$ 13 milhões, passando à frente dos R$ 8 milhões em créditos aprovados anteriormente.

Quais são os avanços na integração de Viana com os demais municípios da Grande Vitória?

Dialogar é essencial, e a integração entre os municípios só traz benefícios. Além dos da Grande Vitória, Viana conversa hoje com todos os municípios do Espírito Santo. Caminhamos juntos para trazer facilidades na hora de executar serviços que vão ao encontro do cidadão. Uma dessas ferramentas de gestão é o consórcio de medicamentos, que está sendo construído a muitas mãos. Vamos comprar medicamentos para a rede pública com uma economia de até 30%. Essa parceria pode abrir as portas para outros projetos que beneficiem o cidadão e otimizem o trabalho da administração pública.

A sua gestão tem sido bem avaliada. O que é preciso para ser um bom gestor?

Ser gestor de órgão público não é uma das tarefas mais fáceis, principalmente em um período de crise econômica, como o que vemos no cenário nacional. No momento, a receita pública está aquém das necessidades da cidade. Por isso, é um desafio muito grande. Mas, acima dos desafios, o mais importante e necessário é o amor pelo trabalho que está sendo feito. Pela satisfação e realização pessoal, que é o meu caso. Tinha o sonho de trabalhar pelo município. Para ser um bom gestor, também é preciso conhecimento técnico, formar uma boa equipe técnica de governo, em especial nas áreas de elaboração de projetos e de captação de recursos, além da proximidade com o governo do Estado e com toda a bancada estadual e federal, independentemente de questões partidárias.