Supermercados superam a crise

Supermercados tem a expectativa de crescimento de 2% entre o fim do ano e 2018

A retomada do crescimento da economia também está gerando expectativas positivas no setor supermercadista. O otimismo bate à porta de um dos segmentos que mais sofreram com a redução nos hábitos de consumo da população devido ao desemprego, que já atinge quase 300 mil capixabas. A previsão da Associação Capixaba de Supermercados (Acaps) é que, entre o fim de 2017 e o primeiro trimestre de 2018, haja um incremento nas vendas superior a 2%. Parece pouco, mas vale lembrar que, no cenário de crise financeira que assolou o país nos últimos três anos, a atividade amargou sucessivas quedas nesse indicador, apesar da abertura de lojas no Estado.

A lógica é simples. Com uma massa de quase 13 milhões de desempregados pelo país, sendo quase 300 mil só no Espírito Santo, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), as famílias acabam comprando menos, retirando do carrinho do supermercado diversos produtos que já faziam parte da lista. De cosméticos a gêneros alimentícios, passando por itens de limpeza e bebidas, o capixaba pisou no freio, deixando a geladeira e os armários de casa mais vazios. Os consumidores optaram também pela troca das marcas tradicionais pelas mais baratas. O reflexo foi esse presenciado nos últimos 18 meses, com a retração nas vendas e, num efeito cascata, recuo na produção industrial.

Super Feira Acaps Pan Show este ano atraiu 21 mil visitantes e movimentou R$ 230 milhões em negócios
Otimismo

Com o otimismo batendo à porta, o superintendente da Acaps, Hélio Schneider, afirma que o cenário de recuperação econômica traz um ambiente favorável, com boas expectativas. “Em relação ao primeiro semestre do ano passado, já registramos um aumento nas vendas da ordem de 0,8%. Neste segundo semestre, devemos atingir algo em torno de 1,2%. E para 2018 estamos estendendo essa previsão para 2% ao fim dos primeiros seis meses. É um otimismo que nos enche de esperança”, afirma.

E não é para menos. Segundo Hélio Schneider, quatro novas lojas devem ser abertas na Grande Vitória nos próximos meses, gerando mais de 800 empregos diretos. No interior o cenário também é de retomada dos investimentos e boas expectativas. “Muitos supermercadistas já estão investindo na reforma e na ampliação dos estabelecimentos. O fim do ano será de compras num ambiente ainda mais limpo, climatizado e com atendimento de primeira. Tudo para dar mais conforto ao cliente. Afinal, cliente satisfeito compra mais”, brinca o superintendente.

Crise x greve

Além da crise que assustou o consumidor e o afastou dos corredores dos supermercados, a greve dos policiais militares entre janeiro e março deste ano amedrontou quem precisava se deslocar até as lojas. Até as unidades próximas de condôminos e bairros populosos sofreram com o medo e o terror que tomaram conta das ruas durante o período, que registrou 200 assassinatos.

Para Schneider, esse foi um dos piores momentos vividos pelo setor em 2017, já que os lojistas tiveram que aumentar a segurança para evitar saques, aumentando os custos. “As pessoas simplesmente não compravam, mesmo com o Exército nas ruas. O impacto foi direto no volume comercializado e, mesmo assim, crescemos, mostrando a pujança do setor”, comemora.

Ainda de acordo com o superintendente da Acaps, mesmo tímida, a criação de postos de trabalho no Estado estimula a economia e traz de volta o consumidor para os corredores dos supermercados, alavancando as vendas.

Super Feira Acaps Panshow

Uma das maiores feiras do setor de supermercados e padarias do país, a Super Feira Acaps Panshow, realizada no Estado, confirma a expectativa dos empresários do ramo, pois atraiu mais de 21 mil visitantes do Carapina Centro de Eventos, na Serra, contando com mais de 200 empresas expositoras de pequeno, médio e grande porte. O evento, realizado em setembro, registrou um volume de vendas da ordem de R$ 230 milhões, muito além da projeção mais otimista.

O setor supermercadista do Estado, que é responsável por 3,25% do mercado brasileiro, gera aproximadamente 115 mil empregos diretos e indiretos, em 1.480 estabelecimentos, e já registrou um faturamento de R$ 11 bilhões este ano (de janeiro a agosto).

Para o presidente da Acaps, João Falqueto, a feira reafirmou sua força e sinalizou bons resultados para vários setores ligados ao ramo supermercadista. “Seguindo o índice positivo de vendas do setor no primeiro trimestre comparado ao mesmo período de 2016, a expressividade, a movimentação e a previsão de bons negócios foram registradas pelas empresas participantes”, ressaltou Falqueto.

“O setor de supermercados no Espírito Santo representa mais de 8% do PIB capixaba e gera aproximadamente 115 mil empregos diretos e indiretos” – João Falqueto, presidente da Acaps
Novidades

A Pif Paf Alimentos é uma das 10 maiores empresas brasileiras no setor de processamento de aves, suínos, massas e vegetais. Seu mix de produtos conta com mais de 300 itens, entre eles elaborados de carnes, pizzas, lasanhas, pães de queijo e embutidos. Há 47 anos no mercado, a indústria hoje conta com quase 8 mil empregados diretos, além de 60 mil clientes. Atua nas regiões Sudeste e Centro-Oeste e também no sul da Bahia, além de exportar para diversos países.

E foi justamente durante a edição 2017 da Super Feira Acaps que a fabricante decidiu lançar produtos diferenciados: fatiados de presunto, apresuntado e mortadela. O gerente de Trade Marketing e Comunicação da Pif Paf, Alysson Miranda, conta que os embutidos já vêm fatiados de fábrica e, além de oferecerem mais praticidade, possuem prazo de validade maior do que o fatiado no ponto de venda. Pizzas duplas, pão de queijo, cortes de frango e carnes suínas e salgados da marca Ladelli também foram destaque nesta edição.
Miranda explica que uma das vantagens da feira é o fato de englobar todos os núcleos de negócios em um só lugar. “É uma oportunidade muito rica para negócios e troca de experiências. Participamos da feira desde a primeira edição e é um evento de expressão e grande importância para o mercado alimentício.”

Simplicidade e automação em alta

A empresa Gestão Super Simples apresentou durante a Super Feira Acaps Panshow soluções que prometem simplicidade e automação na condução da contabilidade. Presente pela segunda vez no evento, a campanha trouxe como novidade para esta edição, como conta o sócio e diretor, Glaucio Siqueira, é plataforma que unifica contabilidade + sistema + consultoria + treinamento. Uma junção de tecnologia, serviços, facilidades e informações, tudo num mesmo lugar. O profissional frisa a importância da feira para o setor: “Esperamos consolidar a presença da marca Gestão Super Simples no segmento.
É também a oportunidade de nos aproximarmos dos empresários e ampliar o networking, que certamente irá se converter em novos negócios”.

Nascida da união de consultores em gestão e contabilistas com ampla experiência de mercado, a empresa se empenha em integrar os serviços de gestão empresarial. “Em nossa trajetória, descobrimos que a dissociação entre os serviços de que a empresa precisa só gera custos adicionais e perda de eficiência. Assim, em 2015 nos lançamos no mercado”, conta o diretor.

A Gestão Super Simples promete ser um diferencial no ramo, ressalta. “Diferentemente do que se está praticando no mercado, não somos apenas uma contabilidade on-line. Nossa proposta é um apoio total à gestão do seu negócio, com recursos automatizados e forte elo humano. Todos os clientes que contratam nossos serviços podem contar com orientações e consultoria para melhorar os resultados de sua empresa.”

Resultados

Participando pela primeira vez da Acaps Panshow, o sócio-gerente da Utilar, Marcelo Sved, se disse satisfeito e pretende retornar em 2018. “Durante os três dias, fechamos muitos negócios no local e prospectamos negócios futuros.”

A empresa, que lançou o saco de lixo com citronela, informou que o produto será entregue aos distribuidores. Diante do número de negócios apresentados pelos expositores, a feira funciona como um termômetro do mercado.

A BRF, detentora das marcas Perdigão e Sadia, retornou depois de 10 anos e confirmou que a Super Feira Acaps se consolidou como um ambiente ideal para ampliar e estabelecer os contatos com empresários do setor. “Ficamos surpresos com a expressiva movimentação de visitantes. Ao longo dos dias, mantivemos um bom número de agendamentos de clientes e pedidos”, garantiu a direção da BRF.

Incentivo

Todas as vendas ocorridas dentro da feira terão os prazos de recolhimento de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) estendidos por aproximadamente 60 dias. O decreto foi assinado pelo governo do Estado na abertura oficial do evento. O texto da matéria, elaborado em parceria com a Secretaria de Estado da Fazenda, determina o dia 18 de dezembro como prazo final para cobrança do ICMS.

O governador Paulo Hartung ressaltou o equilíbrio das contas públicas, diante da crise socioeconômica que tem castigado o país. “O setor produtivo tem importância em nosso Estado, porque ajuda na geração de empregos. Tem sido desafiador atravessar as intercorrências que estamos vivenciando, mas estou animado e trabalhando muito para que o Espírito Santo seja o primeiro Estado a sair desta crise”, afirmou.

Já para o presidente da Acaps, governo e empresários estão investindo, dando a sua contribuição para alavancar o segmento. “O setor de supermercados no Espírito Santo representa mais de 8% do PIB (Produto Interno Bruto) capixaba e gera aproximadamente 115 mil empregos diretos e indiretos”, observa Falqueto.

Confiante nos resultados objetivos no salão de negócios, Hélio Schneider reafirma a importância do encontro. “É no evento que supermercados e padarias podem conferir em primeira mão os lançamentos apresentados pelos expositores, bem como estreitar o relacionamento com os parceiros. Nesta edição tivemos uma boa adesão de estreantes de outros estados brasileiros. Isso só reforça a importância do evento em âmbito nacional”, comenta o superintendente da Acaps.

Pães rústicos estiveram entre as estrelas da feira
Pães rústicos, com massas que descansam por mais de 12 horas, estiveram entre as estrelas da feira
Mais pão

Com duas mil padarias no Espírito Santo, que geram 25 mil empregos diretos e faturam R$ 2,7 bilhões por ano, o Sindipães em parceria com a Associação Brasileira da Indústria da Panificação (Abip) quer aumentar o consumo per capita de pão no Brasil, hoje atualmente em 34 quilos por ano. Em países como Chile, Alemanha e Argentina, esse número é de 93, 75 e 73 quilos por pessoa, respectivamente. E é justamente apostando nesse crescimento que o Sindipães acredita na geração de emprego e renda, consolidando nacionalmente o setor de panificação com um dos mais presentes na vida do consumidor.

Para discutir esses e outros assuntos, a Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria (Abip) realiza em novembro a 71ª convenção nacional da entidade, em parceria com o Sindipães, debatendo o tema central “Pão, alimento saudável, gestão eficiente”. O evento comemorará ainda os 60 anos da associação, uma das maiores ferramentas de fomento do setor no país, e acontecerá em Pedra Azul, em Domingos Martins.

 


Leia mais:

Super Feira Acaps mostra dinâmica e força do setor capixaba
Galeria de fotos: Acaps Panshow 2017

Compartilhe

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome