Socol de Venda Nova do Imigrante recebe indicação geográfica

Socol
Foto: Leandro Fidelis

O produto é conhecido da Região Serrana capixaba e é feito a partir do lombo suíno

Tradicional embutido de Venda Nova do Imigrante, o socol recebeu o Certificado de Indicação Geográfica. O Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI) A indicação inclui as regiões de Alto Bananeiras, Bananeiras, Lavrinhas, Sede, Tapera, Alto Tapera, Santo Antônio da Serra e Providência.

O autor do Projeto de Lei das agroindústrias artesanais é o deputado federal Evair de Melo (PP-ES). Morador de Venda Nova, ele lembra dos que contribuíram para o processo de certificação.

“O socol é um produto que conserva valores da tradição e da cultura capixaba, além de ter um sabor diferenciado e de qualidade. Pioneira no agroturismo, esse reconhecimento faz com que Venda Nova do Imigrante se firme em sua posição de destaque no mapa do turismo brasileiro”, frisou o parlamentar.

Socol

O produto embutido conhecido como socol é feito a partir do lombo suíno. É envolvido por um revestimento de carne bovina ou suína, temperado com sal, alho, pimenta-do-reino e outros temperos.

Sua receita é uma herança viva dos imigrantes italianos, da região do Vêneto, que conservam até hoje o seu modo de preparo e armazenamento. Tem até festa especial realizada anualmente no mês de maio em Venda Nova do Imigrante.

Indicação geográfica

De acordo com o INPI, a Indicação Geográfica identifica a origem de serviços e produtos. Isso é concedido quando a localidade se torna conhecida ou quando o produto carrega alguma característica que remete à origem.

No Brasil, pode ser concedida em duas modalidades:

  • a indicação de procedência, caso do Socol, aponta o nome do local que se tornou conhecido por determinada produção;
  • a denominação de origem, que se refere ao local que passou a designar produtos que carregam suas características geográficas.
Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!