Brasil pode recorrer à OMC contra sobretaxa de importação dos EUA

sobretaxa de importação
Michel Temer e o presidente do Fórum Econômico Mundial, Klaus Schwab, na abertura do Fórum Econômico Mundial para a América Latina (Beto Barata/PR)

O presidente Donald Trump anunciou na última quinta (8) que pretende taxar o aço (25%) e o alumínio (10%) de outros países

O presidente Michel Temer garantiu que o Brasil vai reagir à sobretaxa de importação anunciada pelos Estados Unidos. O aço e o alumínio nacionais serão prejudicados com o aumento de impostos para os produtores entrarem naquele mercado. A ideia é entrar com representação conjunta na Organização Mundial de Comércio, caso não haja uma solução diplomática.

A declaração de Temer foi dada após participação dele no Fórum Econômico Mundial para a América Latina. O evento ocorre em São Paulo até esta quinta-feira (15). As informações são da Agência Brasil.

“Se não houver uma solução, digamos assim amigável, muito rápida, vamos formular uma representação à Organização Mundial do Comércio, mas não unilateralmente, não apenas o Brasil, mas com todos os países que tiveram prejuízo em função dessa medida tomada. Naturalmente, essa conjugação coletiva dos países dará mais força a essa representação”, afirmou.

Sobretaxa de importação

Na última quinta-feira (8), o presidente norte-americano Donald Trump anunciou a elevação para 25% da tarifa de importação de aço e 10% para o alumínio. A sobretaxa de importação afeta diretamente as exportações brasileiras porque os Estados Unidos são um dos principais parceiros comerciais.

O Brasil vai incentivar o contato de empresas brasileiras que fornecem aço para as empresas norte-americanas para trabalharem em conjunto com o Congresso americano para tentar mudar essa cobrança.

Leia também
Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!