Santa Teresa, a terra dos beija-flores e das orquídeas

Localizada na região serrana do Espírito Santo e a apenas 78 quilômetros da capital, Vitória, Santa Teresa é conhecida por sua cultura, pelo meio ambiente preservado, pelo clima e pela gastronomia peculiar.

A cidade conquistou o título de “Capital Estadual do Jazz e do Blues” (em 2012), mas também ganhou notoriedade como a terra dos beija-flores, das orquídeas e de Augusto Ruschi.

O município é o líder em produção de uva e vinho no Espírito Santo. Sua história começou em 1874, quando 150 famílias italianas foram conduzidas para Santa Leopoldina. Logo após, 60 delas seguiram para Timbuí e, ainda naquele ano, acabaram presenteadas com lotes territoriais, fundando Santa Teresa. Por isso, a cidade é conhecida como a Colonização Italiana do Brasil, tanto que 90% de sua população são descendentes de imigrantes oriundos do norte do país europeu (Trento, Vêneto e Lombardia).

Emancipada em 1891, essa rica terra capixaba tem como atividade principal a agroindústria. Por isso, é impossível visitá-la sem ir a lojinhas com produtos deliciosos que fazem sua economia girar, como biscoitos caseiros, tortas, doces, salgados, massas, vinhos, licores, queijos e muitos outros atrativos.

Patrimônio histórico-cultural
Biblioteca Municipal Orlando Nascimento

No Centro, está a Biblioteca Municipal Orlando Nascimento, que leva o nome do escritor que lá viveu. O espaço funciona de quinta-feira a domingo (incluindo feriados), das 8h às 16h.

Outro patrimônio muito famoso é a Casa Lambert, erguida em 1875 pelos irmãos Lambert, imigrantes italianos.
O imóvel é bastante conhecido por ser uma das primeiras construções locais. Hoje, funciona como Casa de Memória, trazendo a história da família e da cidade.

Ainda no Centro, encontra-se a Galeria Cultural Virgínia Gasparini Tamanini.
Nos seus três pavimentos, estão instalados a Galeria do Artesanato e da Agroindústria, o Museu da Cultura e Imigração Italiana e o Centro de Convivência do Idoso. Então, se você quer viajar pela história, essa é uma ótima dica!

Já a Praça Augusto Ruschi talvez seja um dos pontos mais famosos da região. Edificada em 1936 ao estilo europeu, é conhecida por ser local de grandes festas. Para homenagear Augusto Ruschi, a praça recebeu um busto com a imagem do ecologista.

Outro ponto muito conhecido da área central é a Rua Coronel Bonfim Júnior,
ou melhor, a Rua do Lazer. Lá há variados tipos de gastronomia, além de atrações ligadas ao lazer, música, cultura e arte.

Religião
Igreja Matriz

A base religiosa do município é o catolicismo. A primeira capela foi levantada em 1898, e seus sinos foram doados pelo imperador Dom Pedro II. No caso, estou falando da Igreja Matriz, situada ao lado da Rua do Lazer. Na lateral do templo, destaque para um monumento que homenageia o primeiro cinquentenário da fundação da cidade, com os nomes dos imigrantes que lá chegaram. Outro patrimônio muito conhecido é o Santuário de Nossa Senhora do Caravaggio, construída em 1912 pelos colonizadores.

Santa Teresa também conta com as comunidades luteranas, que inauguraram em 1902 um templo a 19 quilômetros do Centro.

Assim, fica difícil não se sentir em um pedacinho da Itália!

Meio ambiente

Aproximadamente 40% do território da cidade são cobertos pela Mata Atlântica. São diversos centros de conservação e proteção: a Reserva Biológica Augusto Ruschi,
a Reserva Biológica de Santa Lúcia e o Parque Municipal de São Lourenço.

Santa Teresa foi intitulada como “Doce Terra dos Colibris” por conta da grande quantidade de beija-flores espalhados pela cidade. Inclusive, essas aves foram estudadas durante muito tempo por Augusto Ruschi, famoso por defender o meio ambiente. Ele foi o primeiro cientista no mundo que conseguiu manter e reproduzir os pássaros em cativeiros, para então desenvolver suas pesquisas que hoje são conhecidas mundialmente. Em 2013, por meio de uma lei municipal, o colibri foi instituído como ave símbolo de Santa Teresa. Outra paixão do ecologista eram as orquídeas .

Referência de patrimônio ambiental é o Museu Mello Leitão. Ele foi criado por Augusto Ruschi, que, antes de falecer, transformou a propriedade em que morava no Museu, em 1949. É um belo parque arborizado com jardim rupestre, que contém viveiros de animais, serpentes, aves e muito mais. Possui também um incrível acervo de plantas, destacando, claro, beija-flores e orquídeas.

A cidade também conta com incríveis cachoeiras! Como não se encantar pela água cristalina em meio à mata preservada? Se você tiver coragem, em algumas delas também existe a possibilidade de prática de rapel. Mas para os que gostam de passeios mais tranquilos, há também as piscinas naturais.

Circuito Caravaggio
Rampa de Voo Livre Amauri Fernandes

Se você quer fazer um passeio completo por Santa Teresa, a minha dica é seguir o Circuito Caravaggio, que consiste em um portfólio produzido por moradores da cidade, contendo empreendimentos turísticos. No auge dessa jornada está a Rampa de Voo Livre Amauri Fernandes. A vista lá de cima é incrível e rende lindas fotos! Mas, se você gosta de fortes emoções, pode contratar uma aventura de parapente e contemplar a beleza da região.

Percorrendo o circuito, o visitante tem acesso à história, à cultura e à gastronomia que predominam na cidade. Vocês vão adorar!

 

A matéria acima é uma republicação da Revista ES Brasil. Fatos, comentários e opiniões contidos no texto se referem à época em que a matéria foi escrita.

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome