Evasão escolar cai no Estado com estudantes participando da gestão

Jovem de Futuro
Foto: Fred Loureiro/Secom-ES

O programa Jovens de Futuro foi trazido para a rede estadual em 2015 e o Instituto Unibanco constatou uma queda de 90% no abandono escolar.

Os primeiros resultados do programa Jovem de Futuro foram divulgados pelo governo do Estado. A iniciativa é levada a escolas de Ensino Médio da rede pública estadual. Gestores do programa, representantes das escolas e estudantes participaram do evento, que aconteceu no Palácio Anchieta, em Vitória.

O Instituto Unibanco analisou os dados do Censo Escolar no Espírito Santo, nos últimos anos. A entidade constatou que o número de jovens que abandonou o ensino médio público caiu 90%. A velocidade foi maior de 2015 adiante, após a implantação das ações do Jovem de Futuro. No Brasil, o desempenho foi inferior ao capixaba, com uma redução de 51%, no mesmo período.

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) do Brasil mostrou o comportamento da rede pública estadual do Espírito Santo. O crescimento é o maior registrado desde que o indicador foi criado, em 2005. Houve expansão de 0,3 pontos nos dados de 2015, ou cerca de 9%, com relação a 2013. A pontuação atingiu 3,7 pontos em 2015, subindo da décima primeira para a quarta posição no país. O Ensino Médio da rede estadual representa 293 escolas e mais de 107 mil estudantes.

No Espírito Santo, o Jovem de Futuro começou em 2015 com mais de 72 mil estudantes. Em 2017, além das 143 escolas onde já existe o projeto, outras 66 unidades escolares entraram no programa, em 71 municípios. A intenção é que toda a rede pública de Ensino Médio seja contemplada até o final de 2018.

Jovem de Futuro
Foto: Fred Loureiro/Secom-ES

“A tarefa de todos os gestores que estão aqui hoje é muito desafiadora, porque é como garantir o direito à educação para todos, sem deixar ninguém de lado. O campo da garantia de direitos precisa de processos estruturados, de rigor, de disciplina. Precisa de método e eficiência. E numa realidade de tamanha desigualdade, a eficiência tem que estar a serviço dos mais vulneráveis”, destacou o superintendente executivo do Instituto Unibanco, Ricardo Henriques.

Jovem de Futuro

Com o Jovem de Futuro, as escolas realizam um modelo de gestão escolar que inclui diagnóstico, definição de metas para cada uma, elaboração de planos de ação, acompanhamento sistemático das iniciativas e de seus resultados e correção de rotas quando necessário, visando essencialmente o aprendizado dos jovens estudantes do Ensino Médio.

A estudante Beatriz Sant’Anna Melo Silva participou do evento e contou um pouco sobre a experiência do programa na sua escola, a Arnulpho Matos, em Vitória. “Fiz uma pesquisa com os alunos e perguntei ‘O que motiva vocês na escola?’; 80% disseram que querem estar na escola, mas não são motivados a estarem nela. Percebemos que o que nos incomodava eram coisas simples de mudar. A solução para mim foi ouvir os estudantes e buscar esse pertencimento. Nós estudantes precisamos estabelecer essa relação com a escola, ter vontade de mudar”, disse a jovem.

Na oportunidade, mais de 330 gestores de escolas, superintendentes e técnicos da rede pública de ensino do Estado estiveram presentes e receberam o certificado de participação no programa.

A principal maneira que o Jovem de Futuro propõe para efetivar a gestão focada em resultados na escola é a construção de um Plano de Ação. Este é um importante instrumento para a materialização do planejamento participativo na escola. É por meio dele que a comunidade escolar traça o que é preciso fazer, de acordo com o seu diagnóstico, para alcançar os resultados esperados.

O programa é realizado pela Secretaria de Estado da Educação (Sedu) com apoio do Instituto Unibanco.

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!