Produção da indústria capixaba acumula alta de 3% até setembro

Produção da indústria capixaba acumula alta de 3% até setembro
1º vice-presidente da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), José Carlos Zanotelli

No acumulado de 12 meses, produção física da indústria do ES registrou expansão de 0,4%, primeiro resultado positivo desde janeiro de 2016.

Na tarde desta quarta-feira, dia 8, o Instituto de Desenvolvimento Educacional e Industrial do Espírito Santo (Ideies) divulgou dados que sinalizam a retomada do crescimento do setor industrial capixaba. Segundo informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a produção física da indústria do ES registrou alta de 3% de janeiro a setembro de 2017, em relação ao mesmo período do ano passado. Em 12 meses, a expansão é de 0,4%, primeiro resultado positivo desde janeiro de 2016.

O desempenho foi o quarto melhor do país, ficando abaixo apenas de Pará, Paraná e Santa Catarina. “Após um ano muito ruim para a economia, o Espírito Santo mantém um ritmo consistente de recuperação, com o quarto melhor resultado na produção física do país. Há um fortalecimento de diferentes setores, traduzido no resultado positivo acumulado neste ano”, disse o 1º vice-presidente da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), José Carlos Zanotelli.

Embora no acumulado do ano o resultado tenha sido positivo, a produção física da indústria teve queda de 3% em relação ao mês de agosto. Em comparação com setembro de 2016, a retração foi de 2,7%. Segundo o IBGE, o recuo em setembro foi ocasionado pelo desempenho dos setores de metalurgia (-11,3%) e da indústria extrativa (-3,6%), afetados, especialmente, pelos itens bobinas a quente de aços ao carbono e tubos flexíveis e tubos trefilados de ferro e aço; e óleos brutos de petróleo.

“A análise mensal é sujeita a esse tipo de variação, especialmente depois de um crescimento tão expressivo como o registrado em agosto, quando a produção cresceu 7,5%. Isso pode ser explicado, por exemplo, por contratos firmados naquela ocasião, que impactaram no resultado. Por isso, é mais importante avaliar o desempenho acumulado do ano e em 12 meses”, ponderou Zanotelli.

Outro dado que sinaliza uma retomada do crescimento da indústria capixaba é o faturamento. No acumulado até setembro, em relação ao mesmo período de 2016, o faturamento da indústria de transformação cresceu 0,7%. Por setores, a alta chegou a 11,3% na metalurgia, 5,8% entre as indústrias de alimentos e 1% na indústria de celulose e papel. Na indústria extrativa, o faturamento real acumulou alta de 12,9% até setembro.

Mercado de trabalho e salários

Os dados de emprego também tiveram melhora no Espírito Santo no acumulado de 2017 até setembro. Na indústria de transformação, o saldo entre admissões e demissões ficou positivo, totalizando 1.830 vagas. Na indústria da construção civil, o saldo foi de 385 vagas. Apenas na indústria extrativa mineral as demissões superaram as admissões em 71 postos de trabalho.

No acumulado de janeiro a setembro de 2017, o segmento industrial foi responsável pelos maiores salários pagos no Espírito Santo. O salário médio pago no Estado foi de R$ 1.401, sendo que na indústria extrativa mineral o valor foi de R$ 2.214, na indústria de transformação foi de R$ 1.643 e na construção civil foi de R$ 1.608. No setor de Serviços e Comércio, os salários foram de R$ 1.435 e R$ 1.233, respectivamente.

Leia mais

IBGE: indústria cresce 3,1% no Brasil e desempenho do ES caiu

Compartilhe

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome