Prefeito de Irupi é acusado por compra de votos e associação criminosa

Foto: Aqui Notícias

Além do prefeito também foram denunciados o secretário de Agricultura do município e um vereador

O prefeito reeleito de Irupi, Carlos Henrique Emerick Storck, foi acusado pelo crime de compra de votos em seis ocasiões, durante as eleições de 2016, e por associação criminosa, de acordo com o Ministério Público Estadual (MPES).

O plenário do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/ES) recebeu nessa quarta-feira (07), por unanimidade, a denúncia da Procuradoria Regional Eleitoral no Espírito Santo (PRE/ES) contra o prefeito.

O secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente do município, Herivelto Rodrigues de Carvalho; e o vereador Fábio Barros Medeiros Junior, o Júnior do Salão, também foram denunciados por compra de votos em quatro oportunidades e associação criminosa. Também foram denunciados pelos mesmos crimes o lavrador Ademar Ferreira Dias e o empresário Paulo Henes de Freitas, o Paulinho Pamonha.

A compra de votos foi realizada em diferentes oportunidades, mas sempre se baseava na oferta de serviços particulares que eram realizados com maquinário na Prefeitura ou do empresário Paulo Henes, como caminhão, retroescavadeira e pá carregadeira. Os moradores beneficiados chegaram a receber recibos falsos para o caso de necessitarem confirmar o pagamento do serviço. A negociação com os eleitores deixava claro que o benefício oferecido somente com o objetivo de obter votos para o prefeito.

Associação criminosa

Durante o período de campanha das eleições municipais de 2016, quando o prefeito foi reeleito, Carlos Henrique se associou aos demais denunciados com a finalidade específica de praticar os crimes de corrupção eleitoral. Ele foi o mentor e principal beneficiário do esquema.

Fábio, vereador em campanha para a reeleição, acompanhou o prefeito em visita a eleitores auxiliando na compra de votos. Herivelto, secretário de Agricultura, agiu para ocultar a prática desse mesmo crime entregando recibos falsos dos serviços realizados.

Já Ademar, oferecia e agendava serviços com máquinas para produtores rurais de Irupi com o fim de obter votos para o prefeito. Esses serviços eram realizados com as máquinas de Paulo, que também recebia a metade do valor diretamente dos beneficiados, ficando de receber a outra metade do prefeito Carlos Henrique. Ele também contatava os produtores rurais para oferecer os trabalhos com suas máquinas em troca do voto.

Além da denúncia, a Procuradoria pediu a abertura de inquérito policial para apurar o cometimento de outros crimes durante o processo eleitoral que está em tramitação na Polícia Federal.

 

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome