Caparaó capixaba terá polo de fruticultura

Caparaó
Foto: Reprodução

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, veio ao Espírito Santo anunciar investimentos e ver de perto o potencial agrícola do Estado

A produção de frutas no sul do Espírito Santo vai receber um grande incentivo para inovação e diversificação. A implementação do polo de fruticultura é uma realização do Centro de Ciência Agrárias e Engenharias do campus da universidade federal localizado em Alegre. Serão contemplados os municípios que pertencem  à região do Caparaó capixaba.

O objetivo é contribuir para o desenvolvimento agrícola na área de fruticultura. A atividade da região está concentrada na agricultura familiar. O Caparaó é uma região com poucas diversidades agrícolas, como foco na cafeicultura e na pecuária. A ideia é promover o aumento de renda e a geração de empregos.

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, esteve em Vitória para oficializar o investimento a ser feito no polo de fruticultura. A Universidade Federal do Espírito Santo deve receber R$ 4 milhões para ações de pesquisa, desenvolvimento e capacitação dos agricultores. A reunião aconteceu no fim da tarde desta quinta-feira (15) na sede da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes).

Convênio com a Ufes

“A Ufes vai coordenar as ações do polo de fruticultura, oferecer assessoria técnica e realizar estudos para identificas as culturas mais apropriadas a cada localizada abrangida. Além disso, contaremos com um laboratório para pesquisa e vamos dar cursos de capacitação para os produtores rurais”, detalhou o reitor da Ufes Reinaldo Centoducatte.

A coordenação do polo fica a cargo do Centro de Ciência Agrárias e Engenharias, que tem como diretor o professor Dirceu Pratissoli. “A atuação do polo será conduzida de modo a identificar as potencialidades dos municípios e manter as culturas que melhor se desenvolvem. Algumas das frutas que já são bem conhecidas e podem dar resultado positivo são banana, maracujá, abacaxi, manga, laranja e abacate. Porém, muitos agricultores ainda não sabem produzir e só realizam o extrativismo das frutas”, explicou

Visita a agricultores

Durante a vinda de Maggi ao Estado, foi convidado a visitar agricultores no interior, principalmente na região Serrana. Foi acompanhado pela senadora Rose de Freitas (MDB-ES) e pelos deputados federais Evair de Melo (PV-ES) e Marcus Vicente (PP-ES).

Polo de fruticultura

Para a instalação do polo de fruticultura está orçado em pouco mais de R$ 4 milhões. Serão beneficiados produtores familiares de 12 municípios. São eles: Divino de São Lourenço, Alegre, Guaçuí, Ibitirama, lúna, Jerônimo Monteiro, Dores do Rio Preto, Ibatiba, Irupi, Muniz Freire e São José do Calçado.

Serão três etapas durante três anos. Na primeira fase, será feito diagnóstico da aptidão da região do Caparaó para a fruticultura. Durante o período, também será criada a unidade demonstrativa na Ufes. Na segunda fase, ocorrerá a implementação de cursos para treinamento de agricultores e técnicos das prefeituras. O objetivo é habilitá-los ao manejo correto dos recursos naturais e ao manejo racional e lucrativo com elevado nível tecnológico.

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!