Plano de contingência apresentado pela Sesp promete garantir a segurança no ES

Foto: Reprodução / Next Editorial

A estratégia apresentada por meio de coletiva de imprensa entra em vigor nesta quinta-feira (22)

A Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp) apresentou nessa quarta-feira (21), informações sobre o Plano de Contingência na região de divisas entre o Espírito Santo e o Rio de Janeiro. A coletiva de imprensa foi realizada na sede a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Sesp), em Bento Ferreira, em Vitória.

Durante a coletiva, o secretário de Estado de Segurança Pública, André Garcia, afirmou que o plano de prevenção capixaba entra em vigor nesta quinta-feira (22), mas não há nenhum indício que aponte a migração de criminosos para o Estado.

“O plano foi adotado por conta da intervenção militar pelo decreto do presidente Michel Temer, na sexta-feira (16). As equipes de inteligência das Polícias Civil (PCES) e Militar (PMES) têm trabalhado constantemente para detectar ações que possam interferir na segurança do nosso Estado. Entretanto, a população pode ficar despreocupada, pois as chances de haver migração para cá são remotas”, disse o secretário.

Participaram também da apresentação o comandante-geral da Polícia Militar do Espírito Santo (PM-ES), coronel Nylton Rodrigues Ribeiro Filho, o chefe da Polícia Civil do Espírito Santo, o delegado Guilherme Daré, e demais representantes das instituições de segurança pública no Estado.

De acordo com o André Garcia, a previsão é de que a operação dure aproximadamente 75 dias, mas poderá ser estendida por tempo indeterminado. Enquanto isso, não haverá mudança no patrulhamento realizado no Espírito Santo. “Não muda em nada o patrulhamento na região Metropolitana, nem no interior. Estamos usando um contingente de reforço e não haverá prejuízo algum para o policiamento que vem sendo realizado no Estado”, afirmou.

Será destinado um orçamento de 2,5 milhões para o plano de contingência, autorizado pelo governador Paulo Hartung. “Ele [governador] prontamente aprovou o valor e solicitou um planejamento estratégico a fim de garantir a integridade da operação”, destacou Garcia.

Segundo levantamento realizado pela PCES, a necessidade de aumento de presença policial nas divisas do Espírito Santo com outros estados é imprescindível. Garcia disse que a segurança capixaba contará com o apoio das agências federais: Polícia Rodoviária Federal (PRF), da Polícia Federal (PF) e do Exército Brasileiro, colaboradores nesse processo.

As unidades da Polícia Militar que atuarão na operação são a Companhia Independente de Missões Especiais da Polícia Militar (Cimesp), o Regimento de Polícia Montada (RPmont) da PMES, o Batalhão de Polícia Militar Ambiental, os Batalhões de Operações Táticas, a Companhia Especializada de Operações com Cães da PMES (CEOC).

Já na Polícia Civil, o Grupo de Operações Táticas (GOT) da Polícia Civil, a Delegacia Especializada de Tóxicos e Entorpecentes (Deten), Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV) e a Divisão de Repressão aos Crimes Contra o Patrimônio (DRCCP). A Concessionária ECO 101 também prestará apoio enquanto a operação estiver em atividade.

Monitoramento

No primeiro momento, serão monitorados 198 km de área de divisa do Estado com o Rio de Janeiro, e serão implantados oito ponto de bloqueio. Um deles será a BR 101, considerada a principal via de acesso ao Estado capixaba.  Nas barreiras haverá profissionais militares com viaturas na entrada e saída das rodovias.

Serão empregadas 40 viaturas por dia. Além disso, 760 profissionais – entre policiais militares e civis – trabalharão na operação, sendo 140 por dia. A equipe contará também com o apoio de 20 policiais rodoviários federais.

O comandante-geral da Polícia Militar do Espírito Santo (PMES), coronel Nylton Rodrigues Ribeiro Filho, afirmou que haverá o monitoramento aéreo com helicópteros e por meio de drones. “Utilizaremos três equipamentos que serão integrados ao patrulhamento realizado pelas equipes que estiverem na operação. Essas equipes serão capacitadas para operar os aparelhos de forma rápida e eficiente”, contou.

Encontro

Nesta quinta-feira (22), o secretário André Garcia se reunirá com o ministro da Justiça, Torquato Jardim, e com os secretários de segurança pública de Minas Gerais e São Paulo para definir ações e o protocolo que será adotado pelos estados com relação a intervenção federal que vem sendo realizada no Rio de Janeiro.

Ele informou que solicitará ao ministro que permita o retorno de policiais rodoviários federais que estão emprestados ao governo do Estado Fluminense. Segundo o secretário, o pedido foi realizado em setembro de 2017, pelo governador Paulo Hartung. Ele reforçou que, durante a reunião, não solicitará recursos para investimento no plano de contingência da segurança.

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!