Pequenos e médios empresários estão mais confiantes, afirma especialista

Pequenos e médios empresários brasileiros estão mais otimistas para o segundo trimestre de 2017. É o que mostra Índice de Confiança do Pequeno e Médio Empresário (IC-PMN), ao registrar 65,06 pontos, um avanço de 3,04%, na comparação com o primeiro trimestre do ano. A pesquisa é elaborada pelo Centro de Estudos em Negócios do Insper, com apoio do Santander.

Os dados do IC-PMN foram obtidos por meio de entrevistas telefônicas com 1.260 pequenos e médios empresários de todo o País, dos setores da indústria, comércio e serviços. A margem de erro do índice é de 1,4% para mais ou para menos, com um nível de confiança de 95%.

Segundo o professor Gino Olivares, responsável pela pesquisa, “no segundo trimestre o IC-PMN conseguiu se recuperar da queda registrada no trimestre anterior. Aparentemente, foi superada a frustração do final do ano passado com a demora do surgimento de sinais positivos na economia”, destacou.

A expectativa de uma melhora no cenário econômico ajudou a impulsionar o resultado do IC-PMN para o período, com uma alta de 6%, quando comparada com a projeção para o 1º trimestre de 2017. Os pequenos e médios empresários também sinalizaram mais otimismo para os próximos três meses nas categorias: Ramo, com alta de 3,8% e total de 68,35 pontos; Faturamento, com 70,34 pontos (3,5%); Lucro, com 69,01 pontos (3,1%) e Investimento, com 61,19 pontos (1,2%). Em Emprego, a percepção dos empresários, manteve-se praticamente estável com 56,92 pontos (0,5%).

A confiança para os próximos três meses também foi acompanhada na avaliação de todos os indicadores dos setores da economia. Os empresários sinalizam alta de 3,6% para Comércio (65,37 pontos), seguido dos Serviços com (2,6%, para 64,54 pontos) e a Indústria (2,0%, para 65,00 pontos), nas comparações com o último trimestre de 2016.

Na avaliação por região, os empresários da Região Sudeste estão mais confiantes para o segundo trimestre, ao registrar 65,76 pontos, um aumento de 4,8% na comparação com o trimestre antecessor. A melhora na percepção do período também foi identificada nas regiões Norte (67,83 pontos, com variação positiva de 3,7%) e Sul (63,79, alta de 3,6%).

A principal queda do indicador ocorreu na avaliação dos empresários das regiões Centro-Oeste e Nordeste, 64,73 pontos, recuo 0,9%, em relação ao trimestre diretamente antecessor. No Nordeste, o indicador marcou baixa de 0,5%, com 63,71 pontos.

Foto: CDL / ACIBOM

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome