Partidos definem apoios para o segundo turno nesta semana

Foto: Reprodução

Marina Silva afirmou que não apoiará nenhum candidato. Já Ciro Gomes garantiu que não se aliará a Jair Bolsonaro

O segundo turno das eleições para Presidente da República se aproximam e os partidos começam a se articular para definir se vão apoiar Jair Bolsonaro (PSL), Fernando Haddad (PT) ou se manterão a posição de neutralidade.

No primeiro turno, realizado no domingo (07), Bolsonaro recebeu 49,2 milhões de votos (46,03%) e Haddad, 31,3 milhões (29,28%). Agora, os candidatos seguem para a próxima etapa, e já começaram a fazer discursos para garantir ainda mais votos.

De acordo com o G1, dos 11 candidatos que não alcançaram o segundo turno, sete disseram que vão definir quem vão apoiar ainda nesta semana. Apenas Guilherme Boulos (PSOL) anunciou apoio a Haddad. Já Cabo Daciolo (Patriota) não se pronunciou.

Além disso, após o resultado das eleições de sábado, Marina Silva afirmou que não apoiará nenhum candidato, mas que o partido discutirá o apoio. Já Ciro Gomes garantiu que não se aliará a Jair Bolsonaro.

Confira o posicionamento dos partidos até o momento:
  • Rede – Com apenas 1% dos votos válidos, a ex-senadora Marina Silva afirmou após a confirmação do resultado do primeiro turno que estará na oposição “independentemente de quem seja o vencedor” e que discutiria o assunto com os correligionários. Entretanto, a assessoria do partido afirmou que debateria a posição oficial nessa segunda-feira (08).
  • DC – Eymael do partido Democrata Cristã fez várias reuniões por teleconferência nessa segunda-feira com os dirigentes dos diretórios regionais da legenda, e a assessoria do partido deu uma previsão de que tome uma posição sobre o segundo turno até esta terça (09).
  • PSDB – O partido de Geraldo Alckmin vai se reunir nesta terça-feira para um debate na sede em Brasília. Já o candidato ao governo de São Paulo, João Dória, afirmou no domingo (07) que votará em Bolsonaro.
  • PDT – O presidente do PDT, Carlos Lupi, afirmou ao G1 que o partido de Ciro Gomes discutirá um “apoio crítico” a Haddad na fase decisiva da eleição presidencial e descartou apoio a Bolsonaro. Já Ciro foi taxativo ao ser questionado se apoiaria o candidato do PSL. “Ele não, sem dúvida”, disse.
  • Novo – João Amoêdo informou que o diretório nacional da sigla discutirá eventual apoio a Bolsonaro ou Haddad na última fase do eleição, mas adiantou que acha pouco provável apoio ao petista.
  • MDB – O partido de Henrique Meirelles deve se reunir até o final da semana para articular a posição no segundo turno. Desta forma, os membros se reunirão a partir de quarta-feira (10), quando o presidente do partido, Romero Jucá, retornará para Brasília.
  • Podemos – A assessoria da campanha de Alvaro Dias informou que ainda não há previsão de quando os dirigentes do partido irão se reunir para discutir quem apoiarão no segundo turno.
  • PSTU – O partido de Vera Lúcia informou que vai discutir até essa quarta-feira (10) o posicionamento, mas que pode dar voto a Haddad e se posicionar contra o Bolsonaro, porém, sem apoio político-programático com o PT. A decisão será anunciada nesta quinta-feira (11).
  • PPL – O partido de João Goulart Filho se reunirá na tarde desta terça, em Brasília, para discutir o assunto. O filho do ex-presidente João Goulart não teve expressividade na corrida eleitoral, mas ainda assim quer definir o apoio.

*Da redação com informações do G1

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!