Em busca de oportunidades de inovação e melhoria contínua

É preciso conhecer a interação da empresa no seu entorno

A todo momento e, principalmente, em tempos de mudança e mercado competitivo como o atual, é preciso que as empresas busquem a melhoria contínua não só de seus processos e produtos mas também da sua forma de interação no cenário regional, nacional e global.

Uma das ferramentas que possibilitam avaliar essa influência é mensurar e analisar os resultados que tem obtido para, a partir deles, buscar oportunidades de inovação e promover a melhoria contínua.

A unidade do Grupo ArcelorMittal no município da Serra está tendo essa valiosa oportunidade. Um estudo que acaba de ser divulgado sobre a ArcelorMittal Tubarão aponta dados gratificantes, sobretudo aqueles envolvendo a influência positiva da empresa na geração de riqueza e no compartilhamento de boas práticas e valores.

Mais que um relatório demonstrativo, a pesquisa coordenada por especialistas da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) tornou-se uma ferramenta de gestão capaz de avaliar a atuação da empresa e direcionar suas ações futuras. A intenção é potencializar ainda mais os efeitos positivos das interações da unidade na região que a abriga e permitir à sociedade conhecer mais profundamente sua missão, visão e valores.

O estudo “A ArcelorMittal Tubarão no Espírito Santo” traz dados do período de 1996 a 2016 e revela, por exemplo, como a estratégia de ampliar as compras de fornecedores capixabas foi acertada. A empresa elevou em 218,2% essa participação e injetou R$ 34 bilhões na economia capixaba, por meio da aquisição de produtos e serviços. Isso ajudou a capacitar e a melhorar a qualificação dos fornecedores locais e ainda ampliou a relevância da unidade para o crescimento econômico do Estado do Espírito Santo. Uma boa demonstração disso é que as atividades da empresa tiveram um impacto no PIB capixaba equivalente a 12,7%, em média, no período.

Em termos de geração de empregos, a ArcelorMittal Tubarão também tem exercido papel fundamental no cenário capixaba. Na contramão do setor siderúrgico brasileiro, que reduziu o número de empregados, a unidade aumentou esse índice. Enquanto o setor produtor de aço brasileiro diminuiu seu efetivo próprio em 9,12%, de 1996 a 2016, a empresa capixaba ampliou seu quadro em cerca de 2,1% ao ano. Somente de 2014 a 2016, a ArcelorMittal Tubarão apresentou um crescimento de 1,3% no efetivo total, enquanto a siderurgia brasileira registrou queda de 14,73%.

A unidade também tem se destacado, em meio ao setor, no quesito produção. No período de 10 anos a que se referem os dados da pesquisa, a participação anual média da empresa foi de 16,6% do aço bruto nacional, com ritmo positivo de evolução. Enquanto sua produção aumentou 96,9% na década analisada, a média da siderurgia nacional evoluiu 23,9%.

Todos esses e outros dados, já disponíveis no site da empresa (tubarao.arcelormittal.com), demonstram, ainda, que a ArcelorMittal Tubarão está conseguindo transferir suas boas práticas e políticas para seus parceiros.

E ainda há muito para se melhorar e conquistar. Vivemos num mundo de constante transformação e que impõe muitos desafios, exigindo das pessoas, das empresas e dos governos atitudes inovadoras e eficientes. Nossa meta é continuar contribuindo, buscando e trocando conhecimento, aprimorando valores e fortalecendo as bases para o desenvolvimento econômico e sustentável que todos almejamos.

Benjamin M. Baptista Filho é presidente da ArcelorMittal Brasil e CEO da ArcelorMittal Aços Planos América do Sul