Novo aeroporto de Vitória atrai investimentos e negócios

novo aeroporto de Vitória
Foto: Divulgação/Assessoria Rose de Freitas

A pista e o terminal antigos serão usados por empresas e a nova estrutura já movimenta a economia da região

Depois de 33 meses de obras e investimento de R$ 559,4 milhões, o novo aeroporto de Vitória foi inaugurado em 30 de março de 2018. O terminal é quase cinco vezes maior e tem capacidade para 8,4 milhões de passageiros por ano. O empreendimento promete movimentar a economia local e atrair investimentos na área do sítio aeroportuário administrado pela Infraero.

Em um encontro com empresários capixabas, o superintendente da Infraero no Espírito Santo, Afrânio Souza Mar, falou sobre o aproveitamento do espaço para negócios.

Segundo ele, nesse grande complexo também são desenvolvidas áreas de negócios externos. Na esquina da Avenida Fernando Ferrari com a Avenida Adalberto Simão Nader, será instalada a Leroy Merlin, empresa francesa que vai aproveitar uma área de 23 mil metros quadrados. Este é um exemplo de exploração do potencial de negócios do sítio aeroportuário.

“Há espaço para desenvolver os negócios mais diversos possíveis, considerando-se que temos uma localização privilegiadíssima”, avalia. Nesse sentido, a Infraero loteou uma área de 80 mil metros quadrados, localizada no encontro da Simão Nader com a Avenida Dante Michelini. Por meio de uma prospecção com o mercado, foram sugeridos um supermercado, um hospital e um grande restaurante para o local.

Afrânio Mar afirmou que o momento agora é retomar a prospecção com o mercado para fazer a licitação, o que não aconteceu antes por causa das obras. “Os espaços que temos ainda dentro da nossa prospecção são corporativos e há o anseio da Infraero para desenvolver esses locais”. Empresas de locação também devem sair das margens da Fernando Ferrari e se moverem para as proximidades da entrada do novo terminal.

O novo terminal e a nova pista não desativaram o antigo aeroporto. “Já passamos a ser demandados pelas atividades operacionais. O aeroporto tinha várias limitações de infraestrutura e de voo. A aviação geral estava represada no estado todo, seja no aeroclube, seja nas cidades menores. Agora, a disposição do pátio anterior livre”. A ideia é abrir o espaço a empresas que querem trazer sua aviação para o aeroporto.

O antigo terminal de passageiros seguirá em funcionamento para atender as aviações geral (off-shore, aviação executiva e taxi aéreo), militar e operações de carga aérea.

O encontro entre os empresários é realizado para debater o cenário de oportunidades para os próximos meses no Brasil. Foi realizado no auditório do Sindicato do Comércio Atacadista e Distribuidor do Espírito Santo (Sincades), na última quinta-feira (12).

“Até o ano passado, operamos com 3,1 milhões de passageiros por ano, mas com capacidade de 1,5 milhão. Vamos sai desse patamar para 8,4 milhões. Se formos considerar a mesma projeção feita pela Organização da Aviação Civil Internacional, a nova capacidade pula para quase 17 milhões. Então, temos um terminal de passageiros para até 15 ou 20 anos”, projetou o superintendente da Infraero.

Infraestrutura

“O aeroporto de Vitória é talvez o principal empreendimento da infraestrutura aeroportuária dos últimos quatro anos”. Afrânio Mar citou os aeroportos que receberam o mesmo aporte na época para atender a demanda gerada pela Copa do Mundo de 2014, mas ficaram para trás. Esses aeroportos, por avaliação do governo, foram entregues à iniciativa privada. Os últimos foram os de Salvador, Florianópolis e Fortaleza.

“Agora também um estudo incluiu o aeroporto de Vitória no processo de desestatização. Isso certamente gerará um impacto significativo no futuro para o desenvolvimento do aeroporto”, disse.

Ele avalia que a infraestrutura representa um grande benefício para a Grande Vitória porque é um dos poucos aeroportos com duas pistas. Ele comparou o novo aeroporto com o de Recife, que só tem uma pista e já registrou incidentes que paralisaram as atividades de pouso e decolagem por horas.

“Vitória passa a ter agora uma nova pista com uma proa totalmente disponível para aproximação, vindo pela baía. Um conjunto de pistas que vai reduzir sensivelmente o tráfego aéreo na região.”

O aeroporto

A Infraero construiu o novo aeroporto de Vitória com 29,5 mil m², 71 pontos comerciais, 12 banheiros públicos, oito elevadores (dois panorâmicos), três escadas rolantes, 31 balcões de check-in e cinco esteiras de restituição de bagagem. Todas as instalações seguem as normas de acessibilidade.

Na área de operações de aeronaves, a Infraero passa a oferecer agora um novo sistema de pistas e pátios. A nova pista de pouso e decolagem tem 2.058m x 45m, ligada ao novo pátio de aeronaves de 67,1 mil m² por dez pistas de taxiamento. São capazes de atender aeronaves de código 4D, como o Boeing 767-200.

No aeroporto, os usuários de veículos terão um estacionamento com 1,7 mil vagas para carros, além de 10 vagas para ônibus de turismo e um bicicletário.

O novo aeroporto de Vitória com 33 lojas em funcionamento, sendo 14 do segmento de alimentação, dez de varejo e nove de serviços, como locadoras de veículos.

As demais lojas estão com processos de licitação em fase final e em até 60 dias elas deverão estar em funcionamento, oferecendo o máximo de opções no novo mix comercial aos viajantes que embarcam ou desembarcam no novo aeroporto.

A estimativa da Infraero é que o novo Aeroporto de Vitória gere em torno de 300 empregos apenas nos estabelecimentos comerciais. O antigo terminal, por sua vez, empregava cem pessoas em seu mix comercial.

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!