Fiscalização agropecuária fica mais ágil com novo sistema

(Fotografia - IAPAR)

Integrantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento se mobilizam para implantar programa após sanções internacionais

Mais uma ferramenta foi lançada para melhorar a fiscalização federal agropecuária. É a plataforma Hub Laboratorial. A ação é uma resposta a Operação Trapaça, deflagrada em março, relacionada à fraude na emissão de resultados de análises laboratoriais.

A secretaria de defesa agropecuária do ministério da agricultura, pecuária e abastecimento (SDA/Mapa) vinha desenvolvendo sistemas em blocos para modernização e reorganização nas fiscalizações. “Com o Hub Laboratorial as informações geradas nas coletas e os respectivos resultados possibilitam ações mais integradas, sem desvio de finalidade. A ferramenta e a automação servirão de base para planejamento de ações, o controle e a auditoria à longo prazo. Além de uma radiografia da produção das empresas”, diz o auditor fiscal federal agropecuário e coordenador geral de laboratórios agropecuários, Rodrigo Nazareno.

As análises, hoje, são realizadas com a coleta de amostras pelos fiscais em campo, preenchimento de dados à mão, enviadas para os Laboratórios Nacionais Agropecuários (Lanagros) e redigitados. Esse caminho possibilita distorções, perdas de informações e agilidade dos relatórios.

“Em suas atividades, o auditor se depara com mais de 60 sistemas instalados no Mapa. Muitos não conversam entre si, dificultando a análise de informações. O Hub vem justamente no sentido de reduzir essa dificuldade e começa em uma área que relaciona com todas as demais da SDA, a área laboratorial”, conta o presidente do Anffa Sindical, Maurício Porto.

A plataforma irá rastrear as amostras desde a coleta na propriedade até o resultado final da análise para garantir a qualidade dos produtos e a segurança alimentar. “No passado, tivemos casos em que um mesmo universo de amostragem deu uma diferença grande entre os laboratórios credenciados e os Lanagros. Isso tende a acabar”, reitera Nazareno.

As crises geradas no setor de proteína animal após a denúncia de auditores fiscais do MAPA na Operação Carne Fraca, tanto como em seu desdobramento, a Operação Trapaça, determinaram a urgência de modernização na gestão e controle desses dados, principalmente depois que vários países reforçaram as exigências para a importação do produto brasileiro.

O sistema estará funcionando até o fim do ano e implantado inicialmente no setor de avicultura, posteriormente nas análises de outros produtores de carne. Parte da motivação na agilidade passa também por um processo de mudanças significativas na SDA para o cumprimento de metas e avanços na implantação de programas financiados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).


Leia mais

PF cumpre mandados de prisão em nova fase da Operação Carne Fraca

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!