Na Nova Zelândia, Citroën faz 2º e 3º lugares no Campeonato Mundial de Rali (WRC)

Faltaram apenas 2,4 segundos para a Citroën terminar vitoriosa em uma das provas mais competitivas e equilibradas da história do Campeonato Mundial de Rali (WRC). Sébastien Ogier/Julien Ingrassia e Sébasten Loeb/Daniel Elena terminaram em segundo e terceiro lugares na quinta etapa do campeonato, disputada na Nova Zelândia e vencida pelos finlandeses Jari-Matti Latvala/Miikka Anttila. O resultado ampliou as vantagens de Loeb/Elena e da Citroën nos campeonatos mundiais de pilotos, navegadores e construtores.

Ogier/Ingrassia tiveram a vitória nas mãos. A jovem dupla francesa terminou o segundo dia de rali liderando a prova, mas com quatro adversários perigosamente próximos no tempo acumulado. A Citroën havia perdido um importante aliado (a dupla Petter Solberg/Philip Mills, líder ao final do primeiro dia com seu Citroën C4, teve problemas e abandonou a prova), mas mantinha grandes chances de terminar na frente. Como líderes no tempo acumulado, Ogier/Ingrassia partiram em primeiro lugar no dia decisivo e encontraram pela frente um piso bem mais escorregadio que o normal.

“Tivemos uma saída de pista que nos custou uns 12 segundos e a liderança”, lamentou Ogier. A liderança passou para Loeb/Elena, mas o hexacampeão cometeu dois erros que lhe custaram 50 segundos e só permitiram o terceiro lugar no final.

Ogier/Ingrassia voltaram à liderança, mas a apenas três curvas do final o piloto francês cometeu um pequeno erro que lhe custou a vitória. “Rodei e isso nos custou a primeira vitória no Mundial. Mesmo assim, foi um resultado que superou minhas expectativas, já que foi a primeira vez que eu e Julien participamos do Rali da Nova Zelândia. Isso é muito encorajador e nos deixa confiantes em conquistar a primeira vitória em futuro próximo.”

No final, apenas 26 segundos separaram os vencedores Latvalla/Anttila do Citroën C4 de Daniel Sordo/Marc Martí, quinto colocado. Uma margem incomumente pequena em provas do WRC.

Mesmo perdendo a prova nos instantes finais, Benoit Nogier, chefe da equipe Citroën Junior, elogiou Ogier e Ingrassia: “Eles tiveram um desempenho excepcional e o resultado dá grande satisfação para toda a equipe. Os carros não tiveram nenhum problema técnico e na próxima etapa, em Portugal, voltaremos a ter dois carros com a volta de Kimi Raikkonen. E queremos brilhar novamente”, confia o dirigente.

Compartilhe

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome