Cariacica se mantém no caminho do desenvolvimento

Mesmo diante dos desafios nos primeiros anos de gestão, o município vem se preparando para o futuro, com o recebimento do entreposto da Zona Franca de Manaus e melhorias na infraestrutura
Apesar de ter a menor receita per capita do Espírito Santo, Cariacica tem desenvolvido plano de ações para garantir novos investimentos e aumentar a confiança da população

Mesmo diante dos desafios nos primeiros anos de gestão, o município vem se preparando para o futuro, com o recebimento do entreposto da Zona Franca de Manaus e melhorias na infraestrutura

Dois anos após a reeleição da atual gestão de Cariacica, o município que possui a menor receita per capita (R$ 1.447,90) em relação à média do Espírito Santo (R$ 2.628,30), segundo dados de 2017, desenvolveu um plano de ações a fim de equilibrar as contas e garantir novos investimentos.

E mesmo com as adversidades impostas pela crise econômica nacional, algumas conquistas foram destaque. O prefeito Geraldo Luzia Júnior, o Juninho, afirmou que a cidade já vem se preparado para o futuro, num esforço que envolve os aportes da iniciativa privada para fortalecer a competitividade local.

O início da operação do entreposto da Zona Franca de Manaus no Estado, em agosto, deve atrair novos negócios à região, oferecendo mais oportunidades à população capixaba. Vale destacar que o Centro Integrado de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Ciampe) possibilita a consolidação de histórias de sucesso em Cariacica.

Hoje, o órgão é o que mais qualifica empreendedores no Espírito Santo. Nos últimos quatro anos, foram registradas a implantação de 3.069 empresas e a renovação de 7.267, além da inscrição de 5.201 MEIs (microempreendedores individuais). Todos esses serviços estão disponíveis na entidade, que presta orientações quanto à obtenção de alvarás de Corpo de Bombeiros e da Vigilância Sanitária e ao acesso a consultores do Sebrae-ES e ao microcrédito da Agência NossoCrédito.

Além disso, algumas obras já estão concluídas, e outras encontram-se em processo de execução ou em licitação. Mais de R$ 100 milhões provenientes de recursos próprios e captados pelo município têm sido utilizados para garantir a segurança da população.

Educação e saúde
Uma das seis creches que estão sendo construídas no município por meio de convênios com os governos estadual e federal fica no bairro de Jardim América
Uma das seis creches que estão sendo construídas no município por meio de convênios com os governos estadual e federal fica no bairro de Jardim América

O investimento na educação é uma das prioridades da atual gestão. Em 2018, a projeção orçamentária foi de 29%, alcançando a cifra de R$ 235.197.000, por meio de convênios com os governos estadual e federal. Seis creches estão em edificação, o que totaliza a aplicação de R$ 6 milhões e a oferta de 1.600 vagas nos bairros que recebem as estruturas, Jardim América, Cariacica-Sede (Morrinhos), Porto Belo II, Vila Prudêncio, Alzira Ramos e Vale dos Reis.

O valor aplicado na construção de seis creches no município é de R$ 6 milhões

Na saúde, a construção do Hospital Estadual Central de Cariacica teve a ordem de serviço assinada pelo governo capixaba na primeira quinzena de outubro. O plano era iniciar as obras no primeiro semestre de 2019, mas a nova gestão do Palácio Anchieta, que assume no dia 1º de janeiro, já declarou que anulará o edital e estabelecerá novos prazos para que um repasse federal de R$ 74 milhões, já garantido por emenda em Brasília, seja aprovado pela Caixa. O terreno do empreendimento, localizado às margens da Rodovia Leste-Oeste, foi doado pela prefeitura e atenderá não só os moradores de Cariacica, mas também os de muitos municípios no entorno.

Trânsito

No trânsito, destaca-se o projeto “Interseções Preferenciais em Rede”, que confere maior fluidez sem a necessidade de instalação de semáforos. Nesse sistema, círculos com raio superior a um metro incentivam os condutores a diminuir a velocidade, executando melhor as conversões durante o trajeto. A intenção é elevar a qualidade na sinalização viária em vários trechos.

Defesa Civil
O sistema de videomonitoramento possui 113 câmeras espalhadas pelas ruas, permitindo o reconhecimento fácil e a identificação das placas de veículos
O sistema de videomonitoramento possui 113 câmeras espalhadas pelas ruas, permitindo o reconhecimento fácil e a identificação das placas de veículos

Alinhado à estrutura viária, o sistema de videomonitoramento surge com o objetivo de contribuir com a segurança pública.

São 113 câmeras espalhadas pelas ruas, integradas ao Centro Integrado Operacional de Defesa Civil (Ciodes) e a um novo projeto conectado ao banco de dados da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Civil (Sesp), permitindo o fácil reconhecimento e a identificação das placas de veículos e assegurando um cerco eletrônico mais eficiente.

Cultura

Cariacica avançou também na criação de uma moderna legislação de incentivo à cultura. A Lei João Bananeira permite o repasse direto da prefeitura aos artistas contemplados, evitando a fase da troca de bônus. Com essa verba, os artistas poderão se apresentar no Centro Cultural Frei Civitella, em Campo Grande, inaugurado em junho de 2016.

Prefeitura investe em infraestrutura
Recursos próprios e captados pelo município de Cariacica estão tirando muitas obras do papel. A maior parte deles é fruto de contratação com a Caixa, por meio do Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa), no valor de R$ 70 milhões, que permitiu planejar investimentos importantes para a qualidade de vida de muitas comunidades.
A ponte sobre o Rio Bubu, por exemplo, apresentava risco de queda. Após o aporte de R$ 374.523,25, a estrutura foi reformada e passou a contar com duas vias paralelas de rolagem com 11m de comprimento por 4,80m de largura, cada uma. Outra obra importante é o recapeamento da Avenida América, em Jardim América, ligação da cidade com Vila Velha. Esta, como outras, apresentava asfalto com até 30 anos de aplicação, o que inviabilizava revitalização apenas com tapa-buracos.
Entrevista com o prefeito Geraldo Luzia Júnior

Reorganização administrativa da cidade e identificação de áreas estratégicas para investimentos têm sido as marcas da gestão na busca por uma Cariacica melhor

Entrevista com o prefeito Geraldo Luzia Jr

As contas foram colocadas em dia? Em seis anos de gestão, o que avançou na prestação de serviço?

Entre 2013 e 2018, o Brasil vivenciou uma crise de grande magnitude que prejudicou os municípios em todo o país. Cariacica, com a menor renda per capita do Espírito Santo, viveu queda de arrecadação de até R$ 50 milhões por ano. Mesmo assim, com medidas de austeridade e gestão responsável, a cidade mantém as contas equilibradas e investimentos públicos. Em 2018, foram anunciados mais de R$ 100 milhões em investimentos tendo como fonte convênios com os governos federal e estadual, mas principalmente por meio de financiamentos obtidos com a Caixa Econômica e o Banco do Brasil, algo que só foi possível pela atual saúde financeira de Cariacica.

O que foi feito em 2018 para atrair investidores?

Identificamos áreas estratégicas e reorganizamos administrativamente a cidade. A antiga Companhia de Desenvolvimento de Cariacica deu lugar ao Instituto de Desenvolvimento do Município de Cariacica (Idesc), responsável pela interlocução com empresários e grupos com capacidade de investir na cidade. Um desses movimentos foi executado para trazer o Centro de Distribuição da Zona Franca de Manaus.
Outras medidas visaram à desburocratização e ao acolhimento do empresário, como a fusão da secretaria de Desenvolvimento Econômico com a de Meio Ambiente, mudança que, sem enfraquecer as políticas ambientais, permitiu que fossem prospectados novos negócios já se pensando no desenvolvimento sustentável, no planejamento da cidade no médio e no longo prazo. Um bom exemplo é o Parque Leste-Oeste, às margens da rodovia de mesmo nome, que será um bairro com novas perspectivas. Terá espaços para empreendimentos empresariais, residenciais e comerciais, favorecendo o curto deslocamento das pessoas, uma nova tendência de qualidade de vida nos grandes centros.

E a promessa de agilização da integração da Região Metropolitana?

A integração da Região Metropolitana é essencial para as cidades da Grande Vitória. Cariacica atua hoje como parceira nesse movimento e, como um passo importante, elaborou o novo Plano Diretor Municipal (PDM) alinhado ao Plano de Desenvolvimento Metropolitano (PDUI), definindo áreas estratégicas de desenvolvimento em harmonia com os demais municípios, uma ação coordenada pelo Instituto Jones do Santos Neves (IJSN) e pelo governo do Estado.

Algum projeto de mobilidade urbana iniciado este ano? As bikes podem chegar em 2019?

A cidade está passando por uma das fases de maior investimento em mobilidade da história, com um importante pacote de obras de drenagem e pavimentação. Serão mais de 200 ruas com nova pavimentação. Alguns corredores importantes entraram nesse pacote, por exemplo a Avenida Vale do Rio Doce, que liga Vitória e Vila Velha a bairros da Região 1 de Cariacica, como Porto de Santana. O capeamento asfáltico da via alterou esse cartão-postal da cidade e deu maior mobilidade, ante a uma via que tinha pavimentação ultrapassada.

Quanto à malha cicloviária, o município já conta com alguns trechos, porém o grande desafio são as rodovias federais e estaduais que perpassam Cariacica e nas quais a prefeitura não tem possibilidade de intervir. Um estudo amplo envolvendo o governo do Estado e cidades da Grande Vitória, no âmbito do PDUI, plano citado anteriormente, será o primeiro passo. Cariacica, inclusive, foi o primeiro município a elaborar o PDM – que se encontra na Câmara de Vereadores para votação – alinhado ao PDUI.

Obras em andamento
-200 ruas urbanizadas;
-185 ruas drenadas, pavimentadas e com calçadas;
-15 vias recapeadas;
-2 km de recapeamento da Avenida Vale do Rio Doce, em Porto de Santana, em Jardim América, e outras vias importantes na cidade.
Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!