Mostra Documentos Autorais no Cine Jardins

Foto: Reprodução

O evento terá a exibição de 12 documentários vindos de oito países diferentes

Com o objetivo de discutir e conhecer as possibilidades de criação do documentário enquanto narrativa cinematográfica, o Cine Jardins recebe a Mostra Documentos Autorais. O evento será começa nesta segunda-feira (03) e se estende até a sexta-feira (07).

Durante a mostra, serão exibidos 12 documentários vindos de oito países diferentes. Boa parte desses filmes ainda não chegou ao circuito nacional de festivais e serão exibidos pela primeira vez no Brasil durante o evento.

As exibições serão realizadas sempre às 19h e 21h e a entrada é franca. Para mais informações basta entrar em contato por meio do telefone: (27) 3314-5000.

Confira a programação:
03 de julho (segunda-feira)
19h
Historias de dos que soñaron, de Nicolás Pereda e Andrea Bussmann
(México e Canadá, 2016, 86 minutos / Classificação 14 anos)
Sinopse: Em um complexo habitacional em Toronto, uma enorme serpente escapa e não é encontrada, uma criança que vira pássaro, um cachorro abandonado é fechado em um apartamento, um incêndio destrói todo um andar de um dos edifícios. Com estes vários relatos, o filme aprofunda o tema da representação e da auto representação / Principais festivais: 66o. Festival de Berlim, Festival Internacional de Cine de Cartagena (Colômbia).

New Madrid, de Natalia Marín Sancho
(Espanha, 2016, 10 minutos / Classificação livre)
Sinopse: É um ensaio experimental sobre as cidades construídas como simulacro e sobre a utopia fracassada resultado da investigação de 8 povos chamados Madrid nos Estados Unidos / Principais festivais: Sitges Festival Cinema Fantástico de Cataluña (Espanha), Sevilla Festival de Cine Europeu (Espanha).

21h
Mais do que eu possa me reconhecer, de Allan Ribeiro
(Brasil, 2015, 72 minutos / Classificação 14 anos)
Sinopse: Uma solidão de oitocentos metros quadrados, em que o espelho já não lhe basta. Um artista plástico descobre na videoarte uma companheira inseparável. Darel não gosta de fazer cinema / Principais festivais: 48° Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, 39a Mostra Internacional de São Paulo, Melhor Filme no 18o. Mostra Tiradentes 2015.

Satan Satie, de Juruna Mallon e Lucas Parente
(Brasil, 2014, 34 minutos / Classificação 14 anos)
Sinopse: “Um conquistador, de tempos em tempos, indomável, desola um canto do mundo e desaparece. Será o Diabo?” Inspirado nos desenhos, escritos e músicas de Erik Satie (França, 1866-1925) / Principais festivais: VII Semana dos Realizadores (2015), Visions du Réel – Festival de Cinema de Nyon (2016), 18o. Festival de Curtas de Belo Horizonte (2016).

04 de julho (terça-feira)
19h

O que me motiva II (Como me da la gana II), de Ignacio Aguero,
(Chile, 2016, 86 minutos / Classificação livre)
Sinopse: Há mais ou menos 30 anos, o diretor Ignacio Aguero filmou “Como me da la gana”, um filme em que interrompia as filmagem dos que estavam filmando neste tempo para perguntar sobre o sentido de fazer cinema durante a ditadura. Hoje, quando os filmes chilenos se produzem em grande quantidade e circulam com êxito em festivais de cinema, o diretor interrompe as filmagens para perguntar acerca do que está sendo filmado o que é propriamente cinematográfico enquanto o próprio Ignacio toma suas notas acerca do que é cinematográfico / Principais festivais: Grande Prêmio no Festival Internacional de Cinema de Marseille (França) e Prêmio de Melhor Filme Iberoamericano no 21o Festival de Cine Internacional de Ourense (Espanha).

21h
Território, de Alexandra Cuesta
(Equador, 2016, 66 minutos / Classificação livre)
Sinopse: Filmado no Equador, a viagem começa no Oceano atravessa as montanhas e desce na selva. Uma experiência atemporal a partir de imagens de pessoas e paisagens / Principais festivais: 28o Festival International de Cinema de Marseille (França), Prêmio Especial do Júri no Festival Internacional do Filme Documentário e Experimental, Brasil

A casa cinza e as montanhas verdes, de Deborah Viegas
(Brasil, 2016, 16 minutos / classificação livre)
Sinopse: Um olhar atento à natureza / Principais festivais: 27o. Festival Internacional de Curtas de São Paulo, 5o Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba

05 de julho (quarta-feira)
19h
Todas as cidades do norte (All the cities of the north), de Dane Komljlen,
(Bósnia, 2016, 100 minutos / Classificação 14 anos)
Sinopse: Boban e Boris vivem dentro de um conjunto de bangalôs abandonados. Alguém mais entra neste espaço isolado e seus padrões são perturbados. O mundo fora chega e traz histórias de outros tempos, de cidades ao norte e ao sul, de como algo é feito. O amor pode ser frágil quando não é dado um nome. Não, não me chame de “camarada”. O que devo chamá-lo, então? / Principais festivais: Festival Internacional de Locarno (Suíça), Festival de Cinema de Nova York, Festival Internacional de Cinema de Rotterdam (Países Baixos), Festival de Cinema de Hong Kong

06 de julho (quinta-feira)
19h
África 815, de Pilar Monsell,
(Espanha, 2014, 66 minutos / Classificação 14 anos)
Sinopse: A diretora Pilar Monsell mergulha nos arquivos fotográficos e nos diários do pai dela, sobre a experiência dele durante o serviço militar na colônia espanhola do Saara em 1964. Pilar decobre o paraíso perdido em que o pai dela sempre tentaria voltar / Principais festivais: Festival Margenes (Espanha), Cinema du Réel (França)

ECO, de Xacio Baño
(Espanha, 2015, 20 minutos – classificação 14 anos)
Sinopse: José e sua namorada estão desmantelando a casa de seus pais. Marcas nas paredes, caixas de memórias. Trinta anos para construir uma vida e dois dias para remover. Sacudindo os tapetes, a poeira invade a casa / Principais festivais: 68o Festival Internacional de Cinema de Locarno (Suíça), XII Festival de Cinema Europeu de Sevilla (Espanha), 18o BAFICI – Buenos Aires Festival de Cine Independente (Argentina)

07 de julho (sexta-feira)
19h
Viejo Calavera, de Kiro Russo
(Bolívia, 2016, 88 minutos / Classificação indicativa 14 anos)
Sinopse: O pai de Elder faleceu. Sem ninguém, ele vai morar com sua avó nos arredores da cidade mineira, Huanuni, onde Francisco, seu padrinho, dá-lhe um emprego na mina. Elder logo descobre um segredo sobre o envolvimento de Francisco com a morte de seu pai / Principais festivais: Festival Internacional de Singapura, Festival de Cinema de Jeonju (Coréia do Sul), Festival de Cinema de Locarno (Suíça)

Muerte Blanca, de Roberto Collío
(Chile, 2014, 17 minutos / Classificação indicativa 14 anos)
Sinopse: Um passeio fantasmagórico entre os vestígios de uma história em que quarenta e quatro jovens soldados e um sargento foram empurrados para suas mortes na região montanhosa de Antuco / Principais festivais: Festival de Cinema de Locarno (Suíça), 57o. DoK Leipzig – Festival Internacional de Curtas documentários (Alemanha), 22o. Ozu Festival de Cinema (Itália)

Serviço:
Mostra Documentos Autorais

Data: 03 a 07 de julho
Local: Cine Jardins
Endereço: Rua Carlos Eduardo Monteiro de Lemos, 262, Jardim da Penha, Vitória
Telefone: 3334-5000
Entrada franca

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome