Mobilidade Urbana: O futuro dos Capixabas sendo construído hoje

Neste momento de crise que assola as finanças públicas em todas as esferas de governo, poucos estados na Federação podem falar com propriedade sobre obras de mobilidade urbana como o Espírito Santo. A crise congela investimentos de norte a sul do Brasil, com reflexos negativos também para os capixabas. Mas, nesse breu quase total no qual estamos imersos, nosso Estado vem sendo luz no caminho do desenvolvimento. E não é por acaso, pois por aqui o dever de casa foi feito, e as contas públicas estão organizadas. Isso nos deu a credibilidade e a oportunidade de realizamos importantes investimentos em infraestrutura de transportes que vêm melhorando o dia a dia de nossa gente.

A expressão “mobilidade urbana e humana” sintetiza o atual pensamento do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-ES) na elaboração de projetos e na execução de obras. Já há a compreensão que as rodovias não são apenas estruturas de ligação, mas também espaços sociais, extensões da vida das pessoas. Com o mundo cada vez mais urbanizado, essas estradas, em boa parte de seus quilômetros, funcionam como típicas vias citadinas, com muitas comunidades e bairros no entorno.

A Leste-Oeste, por exemplo, que ligará Cariacica a Vila Velha, será usada tanto por ônibus e caminhões quanto por ciclistas e pedestres. Logística e mobilidade ao mesmo tempo! Vai integrar muitos bairros dos dois municípios da região metropolitana, como Campo Belo, Vila Isabel, Maracanã, Rio Marinho, Vale Encantado e Cobilândia. Encurtará ainda a distância entre os terminais de Campo Grande, em Cariacica, e Itaparica, em Vila Velha, diminuindo o tempo de deslocamento da população para as suas atividades diárias.

A implantação de faixas multiúso nessa e em outras vias vai na linha da humanização. Tudo conciliado dentro de uma nova opção para o transporte de cargas para o Porto de Capuaba.
Desde a construção da Terceira Ponte, um projeto de importância inestimável para o Espírito Santo, o Governo do Estado não realizava um volume de investimentos tão grande em infraestrutura de transportes, com foco na mobilidade. Além da Leste-Oeste, executa as obras da segunda fase da Avenida Alice Coutinho, a modernização da José Sette e a implantação do Contorno de Cariacica. Essas vias são integradas a rodovias fundamentais para o desenvolvimento do Espírito Santo, como a BR-101 e a BR-262. O início das obras do Contorno do Mestre Álvaro, em parceria com o Dnit, previstas ainda para o segundo semestre de 2018, assim como a retomada das obras da ES-388, em Vila Velha, são outros investimentos dentro desse contexto.

Mas a mobilidade também é foco fora da Grande Vitória. Em Cachoeiro de Itapemirim, maior cidade do interior do Estado, a ES-482 está sendo duplicada e terá passarela, faixa multiúso e calçada cidadã. Mesmo em tempos são difíceis, o Espírito Santo não se curva ao desânimo. Muito pelo contrário, já iniciamos neste cenário adverso a construção de um futuro melhor para a mobilidade, o que garante um novo tempo de novas oportunidades para os capixabas, além de uma sequência planejada de investimentos, assim que a crise passar. E todas passam!

“Desde a construção da Terceira Ponte, um projeto de importância inestimável para o Espírito Santo, o Governo do Estado não realizava um volume de investimentos tão grande em infraestrutura de transportes, com foco na mobilidade”

 

Enio Bergoli é diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem do Espírito Santo – DER-ES

Compartilhe

2 Comentários

  1. Vejo essa não como uma iniciativa, mas iniciativa com trabalho e seriedade pela qual é feito pelo nosso atual Diretor do DNIT. Quando trabalhamos e temos como satisfatório nossa remuneração, tudo acontece de beneficio a população sem que aja desvio de conduta, Parabéns Énio.

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome