Itaúnas – uma pequena vila repleta de belezas naturais, contos e música

Foto: Erikis Fonseca

A tradicional vila é um local para quem quer relaxar e curtir bastante a natureza

Indo em direção ao litoral norte do estado, cheguei a Conceição da Barra. Lá, vi a pequena vila com uma característica musical muito forte, que a faz ser conhecida como a capital do forró no Brasil. Mas nem só de dança vive o lugar. Itaúnas tem folclore, rio, praia, dunas e muito mais.

Quase na divisa do Espírito Santo com a Bahia está o distrito, que na década de 60 era uma vila de pescadores. Logo no início avistei a pracinha com uma Igreja, um tronco ao centro e casinhas ao redor. Eu estava no centro e já era possível observar o contraste arquitetônico das pousadas com as casinhas de pau a pique e sapê.

Foto: Reprodução

O tronco gigante em meio à Praça é de um pique vinagreiro e chama a atenção dos visitantes. Segundo os moradores, depois de uma queimada em certo terreno particular, a prefeitura decidiu colocá-lo ali. Tal feito se deu por conta de seu tamanho e representatividade. Dizem ainda que o tronco tem mais de 200 anos.

Folclore
A cidade tem como tradição a Festa de São Sebastião – santo padroeiro que inclusive deu nome à igreja – e São Benedito, realizada sempre em janeiro. A programação conta com apresentações de grupos de folclore e decoração de flores e fitas coloridas, embalando a todos ao som de tambores e pandeiros. Um dos grupos que representa o distrito é o Ticumbi, criado pelos primeiros moradores do lugarejo e passado como tradição de geração em geração. São quase 300 anos de existência e que, anualmente, celebram a alegria e devoção ao santo negro.

Forró
O Festival Nacional de Forró de Itaúnas, realizado desde 2001, revelou grupos como Falamansa, Rastapé e Trio Virgulino. O Fenfit é o único evento do Brasil que promove a revelação de novos valores e talentos musicais do forró pé-de-serra, por meio de premiação em dinheiro e gravação de CDs. Hoje, o forró em Itaúnas acontece, principalmente, em feriados, temporadas de férias e recesso escolar, Reveillon e Carnaval.

O Festival é realizado no Bar Forró de Itaúnas todos os anos, na penúltima ou na última semana de julho.O Fenfit começa às 23hs e vai até o dia clarear. Na época do Festival, as bandas costumam finalizar a noite na ponte sobre o rio Itaúnas… é o Forró da Ponte.

Dunas de Itaúnas
As dunas que chegavam a atingir 30 metros de altura, com o tempo, soterraram a vila. Várias lendas foram criadas para explicar tal fato, mas a verdade é que se tratou apenas de um fenômeno natural.

A região foi desmatada e, sem ter o que fixasse a areia fina e dourada, o vento a carregou para o outro lado do rio, em um processo gradual. Assim, a população teve que se mudar, formando o atual vilarejo. Prova da veracidade da história está nas próprias dunas, pois ainda é possível ver a ponta do mastro da Igreja soterrada.

Foto: Erikis Fonseca

Após passar pela ponte da cidade, cheguei às famosas dunas. Era um caminho de areia que, apesar de não me impedir de ver a paisagem, mas ao topo me reservava um dos lugares mais lindos que já conheci. Enquanto pisava naquela areia fina, avistava as praias e aquele sol incrível.

Área ambientalmente protegida e reconhecida como parte de um dos sítios declarados como Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco. Mas, antes desse importante título, era uma memorável vila de pescadores resistindo até às ações da natureza.

Para preservar essa vegetação, toda a diversidade biológica e o ecossistema, em 1991 foi criado o Parque Estadual de Itaúnas. Na sede, você também encontra o Centro de Visitantes que conta com uma exposição permanente sobre a fauna e flora locais e objetos encontrados nos sítios arqueológicos dos períodos pré-colonial e colonial.

O parque preserva uma área extensa do bioma da Mata Atlântica e seus ecossistemas associados como restinga, manguezal, dunas e alagados. Ali é realizado um trabalho de educação ambiental e também de turismo pelo Grupo de Condutores de Itaúnas.

Bem de longe já é possível avistar pequenas pontes que levam até a praia. Basta escolher alguma delas e aproveitar. Muitas são as histórias de moradores de outros estados e mesmo de outros países que se encantaram com o local e viveram belas histórias de amor.

Praia do Riacho Doce
Um verdadeiro paraíso de águas mornas. Faz parte do Parque Estadual de Itaúnas, é a última na divida do Estado com a Bahia, e ganhou o título de segunda praia deserta mais bonita do Brasil. O nome foi dado por conta do córrego de água doce que sai das dunas e vai em direção ao mar.

Foto: Erikis Fonseca

Rio Itaúnas
Tem início na beira da serra que separa o Espírito Santo de Minas Gerais, um pouco antes de chegar à Bahia. Parte dos 34 quilômetros de extensão passa pelo Parque Estadual de Itaúnas.

Ainda com os condutores, realizei um passeio de caiaque pelo rio. A água é cristalina, porém escura. Isso por conta das pedras pretas, formadas pelo acúmulo de areia, posicionadas no meio do canal. Muitas pessoas também mergulham ali. Junto ao mar, auxilia na formação de um enorme manguezal.

Dicas de passeio:
Grupo de Condutores Ambientais de Itaúnas
Passeio pela Trilha do Tamandaré e de caiaque pelo rio Itaúnas
Endereço: Avenida Bento Daher, Itaúnas.
E-mail: [email protected]
Telefone: (27) 99776-9655

Café Brasil (casa de forró)
Endereço: Avenida Bento Daher, Itaúnas.
Telefone: (27) 3762-5087

Restaurante do Cizinho
Endereço: Rua Adolpho Pereira Duarte, Itaúnas, Conceição da Barra.

A cidade apresenta opções para agradar a todos. Trilhas, praias, dunas, gastronomia tradicional, folclore, turismo, fauna e um pôr do sol de dar água na boca. Com certeza, a cidade é um ótimo destino, principalmente agora que estamos próximos do verão.

 

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!