Itapina: Bucolismo, história e belezas

Colatina fica na região noroeste do Estado, a aproximadamente 131 km da capital, Vitória. É uma área com tradição nos setores de móveis e vestuário, mas que tem também no turismo uma atividade que traz movimento para o município. Para acessar a região, basta seguir pela BR 101 ou pela BR 259.

O pôr do sol, visto do centro da cidade, é um dos principais cartões-postais de Colatina. E é de fato um belo espetáculo, que chegou a ser classificado, na década de 60, pela revista americana “Time”, como um dos mais bonitos do mundo. É o símbolo da terra. A infraestrutura é completa para atender os visitantes com hotéis e restaurantes. São muitas opções para agradar a todos os gostos. Saindo do centro e percorrendo uma distância de cerca de 25 km, uma grata surpresa. Um bucólico distrito de Colatina às margens do Rio Doce: Itapina.

O vilarejo histórico, do final do século XIX, já foi um dos mais importantes produtores de café. Experimentou o auge e a decadência da produção e hoje preserva um conjunto histórico e arquitetônico com edificações construídas em estilos colonial brasileiro e art décor. O sítio histórico foi tombado pelo Conselho Estadual de Cultura do Espírito Santo (CEC) em 2013 e é reconhecido como Conjunto Histórico e Paisagístico de Itapina.

Os casarios são realmente muito bonitos e chamam atenção. As ruas de paralelepípedo completam o ar de tranquilidade. Sons? Os dos pássaros, a conversa animada de algum morador, um carro que passa pela rua.

Do alto da ponte que nunca foi acabada, a vista é privilegiada. Só metade dela foi finalizada e hoje serve de mirante. Admirar a paisagem nos remete a tão deliciosas sensações… Vez ou outra nos interrompe o trem, com seu apito e suas rodas a tocar os trilhos. Barulho quase ensurdecedor.

É, tem trilho de trem em Itapina. A Estrada de Ferro Vitória-Minas passa por lá.
Tem trem e tem balsa. Isso mesmo, balsa. A travessia pelo Rio Doce, que não dura 10 minutos, foi pensada para facilitar o acesso de moradores que precisam se deslocar diariamente de Colatina para Itapina. E aí os turistas aproveitam para se entreter com tamanha beleza.

Dona Tereza, da farmácia, não gosta de foto. “Não sou fotogênica, minha filha!” Mas gosta de conversar. E viu e ouviu tantas coisas… e divide tudo. Histórias são para ser contadas. Mas Itapina não vive o ano todo assim tão tranquila.

Tradicionalmente, no mês de junho, acontece o Festival Nacional de Viola, o Fenaviola, que reúne músicos profissionais e iniciantes do Espírito Santo, Brasil e do mundo. A organização tem a participação ativa de todos os moradores, que recebem os turistas em seus casarios. Um destino escondido e não muito conhecido que precisa ser descoberto por capixabas e turistas.

Dica de hospedagem

Você pode se hospedar no centro de Colatina. Lá há uma melhor infraestrutura com hotéis e restaurantes. Mas se preferir vivenciar uma experiência diferente, em Itapina é possível encontrar a opção de cama e café. Uma tradicional forma de hospedagem muito comum no interior, na qual se vivencia o dia a dia dos moradores. Você fica hospedado dentro da casa deles.

 

 

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome