Intercâmbio entre grandes e pequenas empresas promove a inovação no Estado

Um bom exemplo é a parceria entre a ArcelorMittal Tubarão e a Etaure, empresa de base tecnológica sediada na TecVitória

A inovação se tornou palavra-chave no país quando se fala na busca pela excelência nos negócios, seja nas empresas que estão surgindo agora ou até mesmo nas principais e mais consolidadas companhias que atuam no Brasil.

O termo é pauta nos mais diversos nichos econômicos e, nos últimos anos, ganhou força a partir do intercâmbio entre grandes e pequenas empresas que buscam a inovação em seus processos.

Entre os exemplos mais bem-sucedidos desse intercâmbio no Estado está a parceria entre a Etaure, empresa de base tecnológica sediada na TecVitória, principal incubadora do Espírito Santo, e a ArcelorMittal Tubarão, uma das maiores produtoras de aço do mundo. Os engenheiros da startup foram os responsáveis por migrar e modernizar todo o sistema de automação dos três altos-fornos que operam na empresa, concluído no final deste ano.

De acordo com Saulo Bittencourt (foto), sócio-proprietário da Etaure, o projeto implantou uma tecnologia de automação diferenciada, possibilitando maior excelência no processo, que é um dos mais importantes para a produção do aço. “A tecnologia tem possibilitado que as empresas criem maior autonomia para seus processos-chaves e a modernização de tecnologias, às vezes defasada, se tornou muito importante para a gestão das ‘grandes’”, explica Saulo.

Para o Superintendente da TecVitória, Vinícius Chagas Barbosa, esse tipo de intercâmbio reforça o papel das empresas inovadoras de base tecnológica para o cenário empresarial do país. “As empresas aqui sediadas exercem um importante protagonismo na inovação do Brasil e as grandes companhias percebem isso. São diversos os exemplos de projetos de inovação desenvolvidos por incubadas e startups que são comprados pelas grandes do país e do mundo”, completa Vinícius.

Compartilhe

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome