Indústria automobilística registra nova alta em julho

Reprodução - Agência Brasil

A produção e a comercialização de novos veículos apontam tímido crescimento do setor

“O mês de julho foi o melhor desde 2014”, constatou o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antônio Carlos Botelho Megale. Os dados sobre a indústria automobilística no acumulado até julho deste ano foram divulgados hoje (6) pela entidade.

O crescimento nas vendas de veículos novos alcançou o patamar de 17,7% em julho, na comparação com o mesmo período do ano passado. Essa porcentagem corresponde a 217.509 unidades. Em relação a junho, houve alta de 7,7%. No acumulado de janeiro a julho, o crescimento foi de 14,9% em relação ao mesmo período do ano passado.

Já a produção registrou alta de 9,3% no mês passado, na comparação com julho de 2017. Porém, em relação a junho, foi constatada queda de 4,1%. Mesmo com o resultado negativo, o acumulado do ano preserva-se em com alta, agora na casa dos 13%.

O mercado externo apresenta um cenário diferente. A venda de veículos para o exterior teve resultados negativos. Houve redução de 21,7% em unidades exportadas em julho, na comparação com igual período de 2017. Em relação a junho, foi constatada queda de 20,9%. No acumulado até julho, a redução foi de 2,8%.

Quando analisado o mercado agrícola, o destaque foi para alta de 27,7% em julho na comparação com o mesmo mês de 2017. Foi registrada queda de 3,5% em relação a junho e aumento de 2,4% no acumulado do ano. A entidade considera que o resultado tem relação com o aumento dos preços das commodities, especialmente algodão, soja e milho.

Rota 2030

O presidente da entidade comentou também sobre o programa Rota 2030, de incentivo a montadoras, que vai conceder créditos tributários que podem chegar a R$ 1,5 bilhão ao ano. Para Megale, ainda é preciso fazer ajustes e detalhamentos ao texto, que recebeu 80 emendas a serem analisadas pela comissão mista de deputados e senadores.

“Vamos acompanhar para que o programa seja o mais claro possível, ele visa a trazer previsibilidade, que é tão importante para o nosso setor e o país como um todo”, disse Megale.

A expectativa da entidade é que o decreto com detalhamento do programa seja publicado na próxima semana. O prazo de aprovação da medida provisória, publicada há um mês no Diário Oficial da União, é 16 de novembro.

*Com informações da Agência Brasil

Conteúdo Publicitário
Compartilhe

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!