Indústria capixaba cresce 2,5% de janeiro a outubro puxada por alimentos

indústria capixaba
Foto: Jackson Gonçalves

A avaliação é baseada nos dados divulgados pelo IBGE nesta sexta (8) e analisados pelo Instituto de Desenvolvimento Educacional e Industrial do Espírito Santo.

O acumulado da produção industrial capixaba até outubro de 2017 mostra um crescimento de 2,5% no ano. As informações foram divulgadas pela Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes) nesta sexta-feira (8).

“O crescimento de 2,5% até agora é importante para a indústria capixaba, que tem concentração em alguns setores. Nosso olhar é otimista e acreditamos em um 2018 melhor ainda”, afirmou.

O desempenho da indústria capixaba ficou acima de média nacional, na passagem de setembro para outubro. A avaliação é baseada nos dados divulgados pelo IBGE na manhã desta sexta-feira (8). Os números foram analisados pelo Instituto de Desenvolvimento Educacional e Industrial do Espírito Santo (Ideies). A indústria capixaba ampliou 0,5% e apresentou o quinto melhor resultado do país.

No acumulado em 12 meses, a indústria capixaba avançou 1,8% em outubro deste ano, taxa positiva mais elevada desde dezembro de 2015. No acumulado entre janeiro e outubro deste ano, o avanço está associado ao comportamento positivo de três setores.

indústria capixaba
Foto: Jackson Gonçalves

Os produtos alimentícios cresceram 14,2%, puxados pelos itens carnes de bovinos frescas ou refrigeradas, açúcar cristal, e massas alimentícias secas. As indústrias extrativas ampliaram a produção em 3,3%. Já o setor de celulose e papel tele aumento de 1,5%, explicado, principalmente, pela maior fabricação de pastas químicas de madeira.

Segundo a Findes, outros dois setores analisados apresentaram queda: metalurgia (-0,7%) e minerais não-metálicos (-5,6%), que se deve pela redução da produção de tubos flexíveis e tubos trefilados de ferro e aço; e de granitos talhado ou serra e cimentos “Portland”, respectivamente.

Inflação e desemprego

Pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o Espírito Santo apresentou deflação de 0,03% no terceiro trimestre. A maior participação no resultado foi a queda nos preços de artigos de residência e alimentos e bebidas.

A taxa de desemprego caiu 0,4% no Estado, e hoje contabilizamos 278 mil pessoas desocupadas. O saldo de empregos foi positivo no ano, com criação de 3,7 mil postos.

Desenvolvimento e ambiente de negócios

A Findes está em contato com as prefeituras para a implementação de medidas para desburocratização. A Serra está com o processo mais avançado e o projeto de lei já está na Câmara de Vereadores. “É o município mais industrial do Espírito Santo”, explica Castro.

indústria capixaba
Foto: Jackson Gonçalves

O presidente da Findes também anunciou o programa Espírito Santo Mais Produtivo, que vai levar um método de eficiência para melhorar a competitividade das indústrias. “Já em 2017 começamos a consultoria em 100 empresas. A intenção é chegar a atender 500 indústrias em dois anos”, afirmou. “A média de ganho de produtividade chega a 50% com a adoção da metodologia”.

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!