Indústria capixaba recua 7,8% no primeiro bimestre de 2018

Léo de Castro - indústria capixaba
Foto: Divulgação / Findes

Os dados foram divulgados no boletim “Indústria Capixaba em números”, da Federação das Indústrias do Espírito Santo

A retomada econômica do País e do Estado será mais gradual, “um pouco mais lenta”. Esta é a avaliação do presidente da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), Léo de Castro. A instituição divulgou o boletim “Indústria Capixaba em números”, nesta quarta-feira (11).

A indústria capixaba de alimentos foi o único segmento a registrar crescimento da produção física no mês de fevereiro. Os números apontam que o setor acumulou, no primeiro bimestre, alta de 1,5%. Por outro lado, registrou-se a queda de 7,8% da indústria capixaba geral no mesmo período. Os dados são do IBGE e foram analisados pelo Instituto de Desenvolvimento Industrial do Espírito Santo (Ideies).

Dos quatro setores da indústria de transformação pesquisados, três sofreram queda de dois dígitos no bimestre. A celulose foi a que mais teve retração, caindo 18,2%). Na sequência, os piores desempenhos foram as indústrias de minerais não metálicos (-15,8%) e metalurgia (-14,7%). A indústria extrativa, por sua vez, teve recuo de 3,2%. No acumulado nos últimos 12 meses, a indústria regrediu no Espírito Santo pelo segundo mês consecutivo, com -0,4%.

“A produção física é um indicador importante da dinâmica da atividade econômica. Nós tivemos em fevereiro, quando comparado a janeiro, queda de 1,1%. No acumulado do ano, quando comparado ao mesmo período do ano passado, o recuo foi de 7,8%. É uma queda preocupante na produção física e que de fato exige atenção de todos nós para enfrentar de frente os problemas que o País tem”, avaliou Léo de Castro.

Segundo o presidente da Findes, isso também é reflexo de anos difíceis como foram 2015 e 2016, mesmo depois da melhora registrada em 2017. “Havia mesmo uma expectativa de um 2018 mais dinâmico, o que por enquanto ainda não chegou”.

Queda em 8 estados

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) pesquisou 15 locais e em 8 deles houve queda na produção industrial de janeiro para fevereiro. A Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física Regional foi divulgada nesta quinta-feira (11), no Rio de Janeiro.

Os dados apontam que os maiores recuos foram observados no Pará (10,9%), Amazonas (-5,9%) e Mato Grosso (-4,4%). Também houve queda na produção em Minas Gerais (-2,8%), Espírito Santo (-1,1%), Ceará (-0,7%), São Paulo (-0,5%) e Rio Grande do Sul (-0,1%).

 

Leia também:
Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!