Indústria do café é uma das mais bem sucedidas no Brasil

Foto: Divulgação

No Dia da Indústria do Café, conheça um pouco mais sobre o fruto e como ele foi inserido em nossa sociedade

Nesta terça-feira (12) é comemorado o Dia da Indústria do Café e nada melhor do que saber um pouco mais sobre o fruto que está presente em nossa sociedade há tantos anos. Na verdade, a bebida era regularmente consumida pelos árabes, passando a ser conhecida no Ocidente a partir da segunda metade do século XVII.

No Brasil, o grão de café chegou por volta de 1827, trazido por Francisco Melo Palheta, nascido em Belém do Pará. Mesmo após a independência do país, a atividade econômica se mantinha forte, e a partir de 1850, graças a monocultura, o fruto se tornou vedete e não tinha concorrência em outros Estados ou países.

Assim, três províncias brasileiras tiveram destaque, sendo a primeira, São Paulo (na região do Vale do Paraíba). A partir de então, quando a cafeicultura prosperou fez desenvolver as localidades.

Pessoas na lavoura de café entre 800 e 1930. – Foto: Reprodução

Hoje, o café é a bebida mais consumida pelo brasileiro. O Brasil fica atrás apenas dos Estados Unidos, que consome quase 80 litros de café por dia. De acordo com o presidente Centro de Comércio do Café de Vitória (CCCV), Jorge Luiz Nicchio, o Brasil consome cerca de 22 milhões de sacas, enquanto nos EUA são 25 milhões ao ano.

“Acredito que ainda há um espaço para alcançar, e só não alcançamos porque houve recessão, ou seja, não houve crescimento da economia brasileira por dois anos. Estamos em uma economia de “marcha-ré”, pois a população empobreceu mais nos últimos quatro anos. Se não fosse por isso, já teríamos nos aproximado dos Estados Unidos. Acho que o principal ponto é que somos os principais produtores e temos cafés de todos os tipos disponíveis nas prateleiras. Os brasileiros consomem muito café, são várias considerações.”, explicou o presidente do CCCV.

Confira mais sobre a entrevista com o empresário José Luiz Nicchio aqui.

CCVV

O Espírito Santo passou a ter uma entidade que representasse os interesses da classe cafeeira em nosso Estado. Em 10 de abril de 1947, 96 cafeicultores capixabas se reuniram na antiga sede do Sindicato do Comércio Atacadista de Café de Vitória, antiga Associação Profissional do Comércio Atacadista de Café de Vitória, situada à rua Duque Caxias, para interesses em comum.

Portanto, foi criado um sindicato com o objetivo de defender ideais em comum de seus associados, promover a estreita união dos que militam no comércio de café e prestar toda a cooperação aos governos da União, do Estado e dos municípios, no amparo da cafeicultura nacional.

Fábrica de café solúvel

Em outubro do ano passado, representantes da Olam Internacional confirmaram que a empresa singapuriana vai investir 130 milhões de dólares (cerca de R$ 500 milhões na cotação atual), para construir uma fábrica de café solúvel no Estado. Ainda não se sabe em qual município o empreendimento será instalado.

Equipe da Olam Internacional atuando. – Foto: Divulgação

A negociação foi realizada entre o governo do Estado e o presidente do setor de café da empresa, Vivek Verma. A Olam Internacional é uma multinacional de Singapura com atuação global na comercialização em setores como café, especiarias, açúcar, grãos e nozes, bem como na produção agrícola em terras brasileiras.

Mais informações sobre a nova fábrica de café que será construída no Estado não podem ser detalhadas na primeira fase da negociação. Saiba mais informações aqui!

Fruto

O café, utilizado como alimento cru, começou a ser cultivado em grande quantidade no Yêmen, no continente asiático. Tribos da Etiópia consumiam a fruta macerada, misturada com banha, como alimento.

Desta forma, descobriram também que a fruta mergulhada em água fervida, poderia ser usada também com fins medicinais. A bebida continua sendo preparada da mesma forma que conhecemos nos dias de hoje.


 Leia mais:

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!