CNI: Indústria 4.0 atinge 1,6% das empresas, mas chegará a 21,8% em 10 anos

indústria 4.0
Foto: Wikimedia Commons

A Indústria 4.0 resulta do uso integrado de tecnologias avançadas da automação, do controle e da tecnologia da inovação em processos de manufatura.

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou nesta terça-feira uma pesquisa sobre a digitalização do processo produtivo industrial. Atualmente, o percentual é 1,6% e deve atingir 21,8% das empresas brasileiras em uma década.

A sondagem faz parte do Projeto Indústria 2027. Leva-se em consideração a expectativa de 759 grandes e médias indústrias brasileiras e multinacionais em relação à adoção de tecnologias 4.0. As informações são da Agência Brasil.

O projeto é uma iniciativa da CNI e do Instituto Euvaldo Lodi (IEL). A realização acontece em parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Os números referem-se ao nível mais elevado de conexão da produção – Geração 4 –, com “tecnologias da informação e comunicação (TIC) integradas, fábricas conectadas e processos inteligentes, com capacidade de subsidiar gestores com informações para tomada de decisão”.

A pesquisa estabeleceu classificações de quatro gerações de tecnologias digitais para o desenvolvimento da sondagem. O primeiro nível refere-se a produção pontual de TICs. A segunda geração envolve automação flexível com o uso de TICs sem integração ou parcialmente integradas. Já a terceira consiste no uso de tecnologias integradas e conectadas em todas as áreas.

De acordo com os pesquisadores, a indústria 4.0 é também conhecida como a quarta revolução industrial. Ela resulta do uso integrado de tecnologias avançadas da automação, do controle e da tecnologia da inovação em processos de manufatura. Tais mudanças envolvem questões como o uso de robótica, de novos materiais, de biotecnologia, de armazenamento de energia, big data, entre outros.