Ibama concede licença de instalação para Porto Central em Presidente Kennedy

Perspectiva do Porto Central de Presidente Kennedy
Foto: Divulgação

A administração do complexo portuário ainda falta concluir detalhes da construção e do financiamento da obra junto aos bancos de desenvolvimento

A licença de instalação do Porto Central, em Presidente Kennedy, foi concedida pelo Ibama nesta quinta-feira (1º). A primeira fase do projeto começa em 2019, quando serão investidos R$ 3 bilhões. A expectativa é gerar 4,7 mil empregos durante a construção. Na fase de operação, prevista para 2022, o complexo industrial portuário terá cerca de dois mil trabalhadores.

A área do porto é de 20 milhões de metros quadrados, com dez quilômetros de berços e píeres, e até 25 metros de profundidade. O Porto Central coloca o Espírito Santo na rota dos maiores navios do mundo, com até 400 mil toneladas de capacidade.

“Além da infraestrutura portuária, vamos prover água, esgoto e energia elétrica. É mais que um porto, é um grande condomínio, com vocação industrial, que vai acelerar e simplificar o processo de licenciamento dos clientes. Vamos garantir uma operação segura, confiável e de alto padrão, seguindo o exemplo do Porto de Roterdã, maior porto da Europa – nosso benchmarking e parceiro”, detalha o CEO do Porto Central, José Maria Vieira Novaes.

Segundo o presidente do Sistema Findes, Léo de Castro, o porto resolve gargalos logísticos históricos do Estado. “O Porto Central representa um novo momento para a economia capixaba e para o Brasil. Além de gerar oportunidades, o porto vai atrair novos investimentos nos próximos anos”, destacou.

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!