Guia de estilo para executivos

No mundo corporativo a boa aparência pode resultar em uma carreira mais bem-sucedida. É o que diz uma pesquisa feita na Austrália: homens considerados mais atraentes ganham até US$ 30 mil/ano a mais do que os que são considerados pouco atraentes. Parece que chegou a hora de assumir que além de competências e habilidades técnicas, os homens também devem se ocupar de sua apresentação pessoal. Sei que acertar nas escolhas não é uma tarefa fácil para quem não é do ramo ou não nasceu com o dom para a coisa. Mas é possível aprender, basta boa vontade e um pouquinho de atenção.

Sua imagem deve transmitir segurança, autoridade, credibilidade. Vamos começar falando do campeão em detalhes e gafes: o terno! Se você vai investir em apenas um conjunto, que ele seja azul-marinho. É o clássico, evita erros e pode ser usado em várias ocasiões. Para quem não gosta de tecido liso, existem opções em risca-de-giz que mantêm a sobriedade e elegância.  Em segundo lugar indico o cinza-chumbo. Evite o terno preto. É muito duro e difícil de combinar, a não ser que você disponha de recursos para ter mais de um conjunto em seu guarda-roupas. As cores claras, como bege, cáqui ou marrom, não são indicadas quando a intenção é passar uma imagem mais profissional ou elegante. Prefira a autoridade de um terno escuro. Em relação ao paletó, se você vai ter só um terno opte pelo modelo de dois botões. É o ideal para homens com formato de corpo quadrado, triângulo invertido ou atlético. Os muito magros e altos podem optar pelo paletó de três botões com fechamento mais alto, para atrair a atenção para o peito e pescoço e assim ampliar a percepção destas áreas do tronco.

O comprimento adequado é obtido com a barra alinhada com o nó de seus dedos. A cintura dos homens é aquele ponto entre a linha do umbigo e a linha do quadril. O terno, quando fechado por um único botão, não pode apresentar pregas ou rugas, nem sobrar um grande espaço entre o paletó e o corpo. Os ombros precisam de encaixe perfeito, caimento macio, sem muito volume, e ser levemente estruturados. O colarinho em hipótese nenhuma pode fazer aquela corcunda atrás do pescoço, não devem aparecer rugas ou ficar repuxado. Só pra lembrar, o colarinho da camisa deve ficar aparente e rente ao do paletó. As mangas merecem atenção redobrada: o encaixe deve ser perfeito, não pode sobrar tecido formando papos na cava do paletó e seu comprimento deve chegar no máximo até a base do seu dedo polegar, onde ele encontra seu pulso. E mais uma dica de ouro: o punho da camisa deve ficar visível de 0,5 cm a 1,5 cm sob o terno. E já que estamos falando da camisa, preste atenção para que seja ajustada o suficiente para não fazer volume sob o paletó, não ficar saindo de dentro da calça ou extremamente apertada a ponto de os botões “gritarem por socorro”. O colarinho deve ser durinho, engomado, sem rugas para receber elegantemente a gravata escolhida.

Aliás, a gravata é a grande estrela do estilo. Fala muito sobre suas intenções e personalidade. Temas infantis, cores berrantes e tecidos amarrotados estão fora de questão. Mas isto não quer dizer que você não possa ousar na padronagem. Pode, desde que combine com a ocasião e com a camisa que a carregará. Mas lembre-se de que a ponta da gravata deve sempre tocar o cinto de sua calça. Bom, já falamos bastante da parte do seu tronco, então vamos partir para as calças. Atualmente os modelos retos, sem pregas e com bolso-faca estão em alta. Evite a todo custo deixar que a calça fique abaixo de sua barriga, mas se for inevitável, leve a gravata até onde for preciso. Não seja pego de calças curtas! O vinco deve fazer uma dobrinha no meio da canela e suas meias não devem aparecer quando caminhar. Uma boa dica é pedir ao alfaiate deixar cerca de 2,5 cm sobrando em cima dos seus sapatos.

Para encerarmos, falemos dos demais acessórios: o cinto deve ser do mesmo tom dos sapatos, e as meias não podem destoar da calça. É pra fazer conjuntinho mesmo. Ah, e elas devem cobrir toda a canela quando você estiver sentado e cruzar as pernas, não podem estar com a boca larga, nem cheia de bolinhas ou pelinhos. Dê uma atenção especial para o relógio. É uma peça que vale um investimento a mais de tempo (sem ironia) e dinheiro. Um punho que ostente um relógio de bom gosto dá uma declaração forte sobre sua personalidade. Atente para o tamanho da caixa e material da pulseira, e use bem justo ao pulso, para não ficar dançando feito um bracelete. E já que estamos na área das mãos, unhas bem tratadas, pequenas,lixadas e limpas, por favor! Por fim, aposte num bom perfume e em seu charme pessoal para encantar multidões.

Gi Oliveira é consultora de imagem corporativa.

Compartilhe

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome