Grupo de Acompanhamento Empresarial avalia cenários econômicos nacional e internacional

O Grupo Permanente de Acompanhamento Empresarial do Espírito Santo (GPAEES) realizou a primeira reunião trimestral de avaliação do cenário macroeconômico nacional e internacional, na manhã desta quinta-feira (23). O evento foi realizado na sala de reuniões do Sheraton Vitória Hotel, na Praia do Canto, em Vitória, e contou com a presença de economistas e empresários capixabas de todos os ramos.

A ideia foi promover um encontro diversificado, a fim de incentivar o empresário capixaba a se informar e usar o conteúdo apresentado como uma constante ferramenta de atuação no seu ramo, além de discutir se realmente o ano vigente será promissor para a economia brasileira, devido à crise em que o país se encontra, levando a cortes de receita do orçamento.

O economista Clovis Vieira, organizador do evento, informou que “este é o ano em que o Brasil crescerá gradativamente, após os cortes realizados nos orçamentos. A instabilidade política é um ponto negativo, pois prejudica a melhora econômica, mas é um ponto que pode ser melhorado”, pontuou.

Para o economista, o evento vai trazer benefícios para o setor econômico do Espírito Santo.  “Esperamos que esse encontro seja proveitoso para todos os empresários, para que possam rever seus planejamentos estratégicos e rediscutir formas de atuação no mercado capixaba”, acrescentou Clovis.

Além disso, a inovação foi um destaque, mostrada por meio de cases de sucesso de empresas brasileiras como a Vale, que destacou o tema “Soluções inovadoras do S11D, o maior complexo minerador econômico”, a ArcelorMittal, que abordou o tema “ArcelorMittal Brasil e a inovação como fundamento para garantir e competitividade” e a Prefeitura Municipal de Vitória (PMV) com o tema “Fábrica de Ideias e a contribuição da Prefeitura Municipal de Vitória para a formação de empreendedores”. Os cases foram apresentados com o objetivo de acrescentar pontos positivos na forma de atuação dos empresários.

O evento contou com a presença da economista-chefe da Rosenberg Associados, Thais Zara, do ex-superintendente da Agência Nacional do Petróleo e diretor fundador do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), Adriano Pires, do prefeito de Vitória, Luciano Rezende, do representante do Sistema Findes, Aristóteles Passos Costa Neto, e representantes de empresas, como Vale, ArcelorMittal, Grupo Buaiz, ISH, Águia Branca, Itapuã Calçados, dentre outras.

Em sua palestra, a economista-chefe da Rosenberg Associados, Thais Zara, falou sobre o cenário macroeconômico, por meio dos temas “Mundo: Ambiente Favorável” e “Brasil: a agenda positiva”. A economista explanou os balanços e os riscos dos Estados Unidos com a era Trump, o cenário econômico da China, além do crédito e mercado de trabalho na retomada do crescimento, Supersafra e o choque da oferta sobre a inflação, PIB e balança comercial.

De acordo com Thais, a economia mundial tem mostrado sinais de crescimento. “Este é um momento de tranquilidade para o Brasil, pois nos traz um tempo para que possamos acertar nossos próprios problemas e questões. Se tivéssemos um ambiente econômico internacional deteriorado, a recuperação seria mais difícil. Já acompanhamos sinais de melhora da economia, proveniente da queda da inflação e isso aumenta a confiança do poder aquisitivo das pessoas”, ressaltou.

A secretária do tesouro nacional, Ana Paula Vescovi, também fez um pronunciamento por meio de videoconferência, na qual comentou a política fiscal e as expectativas para 2017. A secretária apresentou possíveis medidas para um crescimento da economia. “A consolidação fiscal, por exemplo, permite um equacionamento dos déficits visando uma estabilização da dívida pública que só cresce ao longo dos anos. Procuramos algumas lógicas voltadas para solucionar e permitir aumento do PIB brasileiro”, destacou.

Durante a reunião, houve uma exposição sobre a agenda do setor energético e as possibilidades de investimentos na área petrolífera apresentada pelo ex-superintendente da Agência Nacional do Petróleo e diretor fundador do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), Adriano Pires. Ele mostrou aos empresários a situação de energia atual do Brasil, os desafios e o resultado da má gestão realizada pelo governo anterior.

Segundo Pires, o processo é lento, mas providências estão sendo tomadas e podem impactar a economia capixaba. “A economia capixaba dependia muito do petróleo. Uma quantidade de investimentos, de geração de empregos e de royaltes deixaram de vir para o Espírito Santo, mas acredito que medidas estão sendo adotadas para reerguer a economia capixaba, mas esse processo demora e não se alcança um resultado imediatamente. Acredito que em médio prazo o petróleo passará  a ser novamente muito importante para a economia capixaba”, finalizou.

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome