Vaticano nega que Papa tenha enviado representante para visitar Lula

Foto: Remo Casilli / Reuters

Lula pode receber visitas para ajuda espiritual toda segunda-feira. O ex-presidente está preso desde 7 de abril, na sede da PF

Após a tentativa do advogado argentino Juan Grabois de visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na prisão afirmando que foi enviado pelo Papa Francisco, o Vaticano emitiu uma nota nesta terça-feira (12), informando que não há nenhuma relação com o argentino.

Fundador do Movimento dos Trabalhadores Excluídos e ex-consultor do Pontifício Conselho Justiça e Paz, Grabois tentou visitar Lula na prisão em Curitiba, mas não foi autorizado pela Polícia Federal (PF), nessa segunda-feira (11).

Por conta disso, o Vaticano publicou pelo site Vatican News uma nota esclarecendo que o advogado fez uma visita de caráter pessoal e que o terço não foi enviado pelo pontífice diferente do que a página do Instituto Lula divulgou.

“Em mérito às notícias circuladas sobre o suposto envio de um terço pelo Papa Francisco ao ex-presidente Lula, esclarecemos que o advogado argentino Juan Grabois, tentou fazer uma visita a título PESSOAL, tendo após a tentativa infrutífera, concedido uma entrevista diante do prédio da Polícia Federal em Curitiba. Na entrevista – e nos ativemos a ela – em nenhum momento, Grabois afirmou que o terço foi enviado pelo santo padre, mas apenas “ABENÇOADO” pelo papa”, disse a nota.

 

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!