Empresas capixabas estreiam no mercado de exploração de petróleo

energia_e_gas
O Estado teve aumento de 81% na arrecadação de royalties em 2017, registrando a entrada de R$ 661 milhões no primeiro semestre

Três companhias do Espírito Santo arremataram blocos no 14º leilão da ANP

O ano trouxe grandes – e boas – novidades para o Espírito Santo na área da exploração e produção de petróleo e gás. A mais significativa, talvez, tenha sido a aquisição, por três empresas do Estado, do direito de explorar oito campos petrolíferos em terras capixabas. Para estrear nessa atividade, Imetame, Vipetro e Bertek investiram um total de R$ 3,934 milhões, num certame em que foram arrematados 12 blocos no total e que traz a expectativa de novo impulso ao setor, beneficiando o avanço tecnológico e a geração de emprego e renda no Estado.

Os investimentos previstos, só na fase de exploração, giram em torno de R$ 130 milhões, além do bônus de aproximadamente R$ 110 milhões. “Foi positivo para o Brasil e mais positivo ainda para o Estado. Temos uma expectativa muito boa de aquecimento do setor a partir de agora”, avaliou o secretário de Estado de Desenvolvimento, José Eduardo Azevedo.

petroleo
Fonte: ANP/SDP/Sigep

Outro bom acontecimento, também surpreendente, foi o aumento de 81% na arrecadação de royalties e participações especiais relativos ao petróleo – um reforço inesperado para os cofres do Estado nos últimos dois semestres, capaz de alavancar obras e melhorias sociais ao longo do ano. O primeiro semestre resultou em uma arrecadação de R$ 661 milhões, contra R$ 345 milhões no mesmo período de 2016. Contribuíram para esse resultado a recuperação dos preços do barril no mercado internacional conjugada ao aumento na produção capixaba de petróleo e gás. A Secretaria de Estado da Fazenda estimava fechar o ano com R$ 1,2 bilhão dessas receitas no caixa estadual.

Somente a Petrobras prevê investimentos no Espírito Santo de US$ 2,7 bilhões – ou R$ 7,7 bilhões – do montante de US$ 74,1 bilhões de seu Plano de Negócios e Gestão 2017-2021. A partir de 2018, novos poços nos campos de Baleia Azul e Cachalote devem começar a produzir, após serem interligados a plataformas já instaladas e em produção. Com a aquisição de três blocos offshore, no Regime de Partilha de Produção, a Petrobras aumentou sua área exploratória em 11,4 mil km². A produção no Espírito Santo em outubro foi de 419.414 barris de óleo equivalente por dia (boe/d), segundo a Agência Nacional do Petróleo – ANP, representando 14% da produção nacional de 3.348.265 boe/d.

No ano em que comemora seis décadas de atuação no Espírito Santo, a companhia retomou o crescimento e a competitividade com medidas variadas, entre as quais a reestruturação nas áreas operacionais de exploração e produção e de refino e gás natural,
o que vai gerar uma economia de R$ 35 milhões por ano. Em nove meses, o lucro líquido de R$ 5 bilhões da petrolífera foi suficiente para reverter o prejuízo de R$ 17,334 milhões registrado no mesmo período do ano anterior.

Reflexos da Lava Jato

No início de dezembro, o Ministério Público Federal devolveu à companhia R$ 653,9 bilhões recuperados este ano por meio de acordos de colaboração premiada e de leniência firmados pelo órgão com empresas e pessoas investigadas. Somada essa cifra ao que já foi recuperado em anos anteriores, a Petrobras foi ressarcida até agora em cerca de R$ 1,5 bi – o que representa 13% do total de R$ 10,8 bi previstos nos acordos fechados pela força-tarefa. Segundo declarou na ocasião o presidente da empresa, Pedro Parente, o dinheiro devolvido em 2017 representa quase 20% do que foi apontado no balanço como desvios investigados pela Lava Jato.

Eletricidade
Segundo o governo do Estado, estão previstas a implantação de 560 km de linhas de transmissão e a construção de quatro substações
Eletricidade

Outra questão positiva é a expectativa de investimentos em infraestrutura energética para os próximos anos. Segundo a Secretaria de Desenvolvimento, está previsto R$ 1,6 bilhão de investimentos em infraestrutura energética para o Espírito Santo, que pode gerar mais de mil empregos diretos. São projetos para implantação de 560 quilômetros de linhas de transmissão de energia e construção de quatro subestações em Rio Novo do Sul, João Neiva e São Mateus. Além disso, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) tem a previsão de realizar, até o fim do ano, mais dois leilões de energia elétrica,
que terão projetos para o Espírito Santo.

A contratação dos serviços públicos foi efetivada pela Aneel durante leilão realizado em 26 de outubro de 2016. Os projetos devem entrar em operação entre os anos de 2019 e 2021. “Investir em energia significa melhorar a infraestrutura para as nossas atividades econômicas, aumentando a nossa possibilidade de atrair novos investimentos para o mercado capixaba, além de permitir a expansão das indústrias existentes”, afirmou Azevedo.

“A construção, ampliação e modernização de subestações e linhas de distribuição são fundamentais para suportar o aumento da demanda e até mesmo antecipar o crescimento econômico do Estado”
João Brito, diretor da EDP Espírito Santo

A maior concessionária de energia elétrica no Estado, a EDP Espírito Santo, está ampliando sua rede de distribuição. A empresa aplica cerca de R$ 300 milhões em melhorias este ano,
valor 90% superior ao registrado em 2015 e 27% maior que em 2016. O montante é destinado aos 70 municípios da área de concessão capixaba e permite um acréscimo de 229 MVA de potência instalada. Segundo a empresa, esse total corresponde à potência atual instalada do município de Vila Velha.

Cerca de R$ 160 milhões estão destinados à ampliação e construção de subestações e em obras e recapacitação de linhas de distribuição de alta tensão. Entre os empreendimentos, estão as novas subestações Guriri, em São Mateus, e Atílio Vivácqua. A ampliação acontece em 24 subestações, entre elas São Mateus, Linhares, Itapemirim, Lameirão, em Guarapari, e Fruteiras, em Cachoeiro de Itapemirim.

Os recursos serão utilizados ainda para a construção de 14 quilômetros de linhas de distribuição de alta tensão e para a recapacitação de outros 81 quilômetros que passam por diversos municípios do Estado, como as linhas Viana-Guarapari e João Neiva-Linhares. A medida aumenta a confiabilidade do sistema e reduz o número de eventuais interrupções de energia.

“A construção, ampliação e modernização de subestações e linhas de distribuição são fundamentais para suportar o aumento da demanda e até mesmo para antecipar o crescimento econômico do Estado, assegurando o atendimento ao mercado, reforçando a confiabilidade e a melhoria da qualidade do fornecimento de energia”, afirma João Brito, diretor da EDP Espírito Santo.


Leia mais
ANP leiloa três blocos na Terceira Rodada de Partilha do pré-sal
Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!