EDP faz soltura de peixes em afluente do Rio Doce

Setenta e cinco mil alevinos (filhotes de peixes) foram soltos nessa quinta-feira (20), no Rio Guandu, afluente do Rio Doce próximo ao reservatório da Usina Hidrelétrica (UHE) de Mascarenhas, no Espírito Santo. A ação é uma iniciativa da EDP Espírito Santo, empresa que atua nas áreas de geração, distribuição, comercialização e soluções em energia, dando continuidade ao projeto de benefício socioeconômico e ambiental da região. No próximo mês, acontece a segunda etapa da ação e outros 75 mil alevinos serão soltos no rio Santa Maria do Doce.

Filhotes de lambari do rabo amarelo (Astyanax bimaculatus), curimba (Prochilodus vimboides) e piau vermelho (Leporinus copelandii) serão entregues à natureza recompondo os estoques de peixes e restabelecendo as populações de espécies nativas da região. Para tanto, a EDP investiu em um estudo minucioso na região sobre alternativas de manejo do reforço pesqueiro, no qual foram propostas algumas ações, dentre elas a realização do procedimento de transposição manual de peixes, o monitoramento trimestral da ictiofauna e a soltura de filhotes de espécies nativas.

Os animais foram selecionados em função dos resultados obtidos com o monitoramento de peixes realizado na região onde está instalada a UHE Mascarenhas.

Os peixes foram adquiridos de laboratório especializado em reprodução induzida de animais nativos. Ao longo de dois anos, 125 mil filhotes de peixes estão sendo soltos na região da usina, contribuindo na manutenção do equilíbrio ecológico do local.

“Com mais uma soltura, reforçamos nosso comprometimento com o meio ambiente e com as comunidades no entorno de nosso empreendimento hidrelétrico”, ressalta o diretor de Operação e Manutenção da Geração do Grupo EDP, José Cherem Pinto.

Compartilhe