Dia Mundial do Rock: Paixão pela música e envolvimento com o ritmo

Foto: Reprodução

O ritmo nascido na década de 1950, ganhou uma data durante festival que tinha como objetivo arrecadar fundos para pessoas na Etiópia

Hoje é dia de Rock bebê! Os riffs da guitarra, somados aos graves de contrabaixo, e à pegada da batera.  Uma combinação que causa ‘arrepio’ aos amantes de um dos ritmos mais conhecidos no mundo: o Rock N Roll . E nesta sexta-feira (13) é comemorado o Dia Mundial do Rock, uma data especial para muitas pessoas que o curtem.

A data foi criada em 1985 pelo cantor e compositor inglês Phil Collins, durante sua apresentação no Live Aid. O festival visava arrecadar fundos em prol das pessoas que passavam necessidades na Etiópia. Desde então, a data é celebrada pelos roqueiros “de plantão”.

Público curtindo o Live Aid, em 1985./ Foto: Reprodução

Entretanto, nem os Estados Unidos, nem a Inglaterra, países culturalmente adeptos ao ritmo adotaram a data. O dia 13 de julho passou a ser mais aceito no Brasil, país mais influenciado pelo Samba e o Sertanejo.

Aqui no Brasil

Por aqui, passamos a celebrá-lo por volta de 1987. De acordo com o lendário Kid Vinil, em seu Almanaque do Rock, “só os brasileiros e as rádios rock levaram a data a sério”. E muito a sério mesmo.

A tecnóloga em Logística, Lorena Fraga, ouve Rock desde pequena por influência do pai e ele faz parte de sua vida. “Ouço todos os dias e quase o dia todo. Ouço para relaxar, dormir, distrair, trabalhar, qualquer coisa. Não importa o estado de humor. Acho que é meu remédio para tudo”, contou.

Fã de bandas como Led Zeppelin, AC/DC, Slipknot e Alice In Chains, o engenheiro Flavio Tulio Busatto afirmou que o ritmo transmite boas energias. “O Rock tem uma energia boa, dá uma sensação de liberdade. E quem frequenta os locais do estilo sentem isso, essa positividade, o estilo sem julgamento e sem preocupação. Isso que é importante, estar bem seja qual for seu estilo”, destacou.

Estilos

O Rock é um dos estilos que mais varia. Desde quando foi criado na década de 1950, com os acordes e vocais de Elvis Presley, Chuck Berry e Bo Diddley, o classic rock encanta o público. Hoje, são vários tipos que atendem a todo tipo de público.

Apresentação de Elvis Presley em Tupelo, Mississippi, em 1956./ Foto: Roger Marshutz-MPTV

Na década de 1960, o ritmo foi marcado pelo psicodelismo trazido pela banda de Jim Morrison, o The Doors. Mas os riffs dos Beach Boys também fizeram sucesso, lançando assim o surf music. Já nos anos 1970, o hard rock surge para revolucionar o cenário.

Nos anos 1980, no Brasil, bandas como Barão Vermelho, Engenheiros do Hawaii, Legião Urbana, Paralamas do Sucesso e Titãs fizeram a cabeça de muitos fãs. Na década de 1990, o grunge foi um dos destaques no Rock. Nirvana foi a banda “sensação”, que arrastou multidões.

Mensagens

O ritmo é considerado um dos meios de comunicação com o público. As mensagens transmitidas por meio das letras carregam um forte sentimento. Claro que existem músicas com mensagens subliminares, mas nem todas são assim.

O servidor público Jorge Bezerra defendeu a ideia de que o estilo musical abrange diversos públicos pela diversidade de instrumentos. Para ele, isso cria uma conexão entre as pessoas, principalmente pelo fato das letras geralmente não serem sobre romance.

“O meu primeiro grande contato com o Rock foi em 1998, por intermédio de um amigo que “vivia” o ritmo, que fala sobre tudo, aventura, mistério, boas experiências de vida, como a Road Trippin’ do Red Hot Chili Peppers. Sai da mesmice das canções de amor”, finalizou.

 

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!