ES Pergunta: Sindifer completa 46 anos

Em entrevista à ES Brasil, Lúcio Dalla Bernardina garante que em sua gestão tem priorizado ações para o fortalecimento do setor metalmecânico capixaba e do sindicato que representa.

*Por Luciene Araújo

Lúcio Dalla Bernardina é o novo presidente do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas e de Material Elétrico do Espírito Santo (Sindifer). Ele assumiu a entidade no dia 20 de agosto de 2017, após dois mandatos interruptos do então presidente, Manoel Pimenta (2011-2013 / 2015-2017) e do também ex-presidente Luiz Alberto de Souza Carvalho (2013-2015).

Quais as metas para os próximos quatro anos à frente do Sindicato?

A meta para os próximos anos é a manutenção do legado que recebemos, aprimorando os serviços prestados aos nossos associados, de acordo com as demandas que surgirem. Temos intensificado ações de capacitação, que incluem palestras, workshops, visitas técnicas, com o objetivo de deixar nossos empresários sempre a par dos assuntos mais relevante que envolvem o nosso setor.

Modificar a forma de gestão ou dar continuidade ao trabalho realizado pelos presidentes anteriores? 

É importante destacar o bom trabalho efetuado pelas gestões anteriores. Se não tivéssemos encontrado um Sindicato organizado, com certeza as condições não estariam propícias para que pudéssemos realizar e planejar tudo o que os nossos associados merecem. Realizamos reuniões periódicas com nossos diretores e associados para que, juntos, analisemos as conjunturas nas quais estamos inseridos e, assim, tomarmos as decisões mais adequadas para alcançarmos os nossos objetivos.

O Sindifer foi o primeiro sindicato patronal do país a oferecer assistência jurídica e um dos primeiros a oferecer consultoria na área trabalhista. O que leva a essa vanguarda?

Isto só é possível por estarmos antenados às necessidades dos nossos associados. Para tanto, contamos com uma equipe técnica e qualificada, apta e pronta a auxiliar os empresários do nosso setor. Hoje, o Sindicato possui amplas instalações para realização de treinamentos e eventos internos e externos, para poder atender com excelência os seus mais de 600 associados.

Há previsão para aumentar o número de associados, hoje de 650 empresas?
Sim, pretendemos. Nós temos como prioridade a defesa dos interesses dos nossos associados. Estamos abertos a recebermos as indústrias do setor metalmecânico e de material elétrico de todo o Espírito Santo. Quanto aos serviços, somente em 2016 realizamos ou apoiamos a realização de mais de 40 eventos, que capacitaram milhares pessoas. Algumas ações já fazem parte do nosso calendário anual e vamos intensificando com outras de acordo com as demandas do mercado e dos nossos próprios associados.

Qual o cenário hoje no Espírito Santo, em relação aso acidentes de trabalho nos setores metalúrgico e de material elétrico?

Temos percebido uma redução nestes tipos de acidentes, justamente por preferirmos a precaução. Neste contexto, destacamos duas ações realizadas por nós e que são ferramentas reconhecidamente eficazes na prevenção a acidentes: a quarta edição da Feira Prevenir, o maior evento de segurança do trabalho do Espírito Santo o Prêmio Sesi de Boas Práticas que acontece dentro da Prevenir 2017. Ambos os eventos visam estimular a cultura da segurança e saúde do trabalho, no ambiente empresarial, por meio do reconhecimento e apresentação de práticas, processos e produtos, novos ou aprimorados, desenvolvidos pelas indústrias.

O que ainda precisa ser feito pelas empresas capixabas desses segmentos para se mantiverem competitivas nos cenários nacional e internacional?

São vários os fatores que influenciam para que as empresas brasileiras mantenham a competitividade tanto no cenário nacional quanto no exterior. Hoje posso dizer que é impossível mantermos um bom nível de competitividade se não aprovarmos a Reforma Trabalhista e a Reforma da Previdência. É importante esclarecer, antes de qualquer coisa, que a classe empresarial não deseja retirar os direitos do trabalhador, mas equipará-los aos dos trabalhadores dos países mais desenvolvidos do mundo. Estes ajustes também permitirão que as empresas brasileiras se tornem mais competitivas, tanto no mercado interno quanto no mercado externo, movimentando a economia e tornando-as capaz de absorver cada vez mais mão de obra.

Novidades para a Mec Show?

Sim. Estamos a pouco mais de um mês de um evento que já faz parte do calendário empresarial capixaba, que é a Mec Show, entre 18 e 20 de julho, no Pavilhão de Carapina. A décima edição do evento compreende dias repletos de palestras, workshops, minicursos, visitas-técnicas, certificação do Prodfor, Rodada de Negócios, Olimpíadas de Ocupações, entre muitas outras capacitações.

Perfil

Lúcio Dalla Bernardina é casado, pai de quatro filhos e atua há pelo menos 35 anos no meio sindical.

É proprietário da Metalosa, empresa localizada em Colatina, que produz equipamentos que utilizam aço na sua matéria-prima. produtos que atendem, especialmente, ao setor da construção civil.

Conteúdo Publicitário
Compartilhe

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome