Confiança das famílias aumenta 12,3%

A melhora do poder de compra, ainda que pequena, têm impactado de forma positiva na confiança das famílias. O aumento de 12,3% na Intenção de Consumo das Famílias, apurada pela CNC, foi a quarta variação positiva consecutiva


Confiança maior entre as famílias. A Intenção de Consumo das Famílias (ICF), apurada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), alcançou 77,1 pontos em junho de 2017, em uma escala de 0 a 200.

O aumento de 12,3% em relação ao mesmo período do ano passado é a quarta variação positiva consecutiva. Na comparação com maio, o indicador apresentou queda de 0,7%.

Segundo Bruno Fernandes, economista da CNC, a  confiança vem sendo conduzida pela melhora das expectativas. “O início de recuperação das condições econômicas, como desaceleração da inflação, queda dos juros e liberação dos recursos das contas inativas do FGTS, pode levar a uma alta mais consistente das variáveis que medem a situação corrente dos consumidores ao longo dos próximos meses.”

Emprego

Ainda que acima da zona de indiferença (100 pontos), com 107,2 pontos, o componente Emprego Atual teve queda de 1,2% em relação a maio. Mas na comparação anual teve elevação de 7,9%. O percentual de famílias que se sentem mais seguras em relação ao emprego atual é de 31,2%, ante 31,8% em maio.

A preocupação das famílias em relação ao mercado de trabalho foi menor que em 2016, mas maior que em maio deste ano. O subitem Perspectiva Profissional, com 96,6 pontos, apresentou queda de 2,3% na comparação mensal. Em relação a junho do ano passado, teve aumento de 3,9%.

Apesar da elevação dos indicadores relacionados ao emprego e renda na comparação anual, as variações mensais apresentaram recuo em junho. “Isso mostra a fragilidade da confiança das famílias, visto o atual cenário em relação ao mercado de trabalho, com manutenção de uma taxa elevada de desemprego e baixo crescimento da renda”, comenta Bruno Fernandes, economista da CNC.

Consumo

O componente Nível de Consumo Atual apresentou a terceira variação anual positiva consecutiva, com 23,2%, e aumento de 2,8% ante abril. A maior parte das famílias declarou estar com o nível de consumo menor que o do ano passado (59,3%, ante 60,2% em maio). O item Perspectiva de Consumo registrou aumento de 0,6% em relação a maio e de 30,8% ante o mesmo período de 2016, a décima variação anual positiva desde agosto de 2014.

Refletindo a tendência positiva no consumo, Momento para Duráveis apresentou elevação de 0,2% na comparação mensal. Em relação a 2016, o componente mostrou aumento de 23,2%, o sétimo consecutivo. O item Acesso ao Crédito, com 69,4 pontos, apresentou queda de 0,9% na comparação mensal, mas teve aumento de 8,7% em relação a junho de 2016.

Para 2017, a CNC revisou a sua previsão anterior de crescimento das vendas no varejo ampliado, de +1,2% para +1,4% em relação a 2016. O mercado ainda aguarda perspectivas mais favoráveis quanto à velocidade de queda dos juros e outros impactos positivos da medida. O que um ritmo de crescimento do emprego mais intenso nos próximos meses.

Foto: Reprodução WEB

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome