Competência na gestão

Gestão: Prefeito de Viana, Gilson Daniel, colocou o município como destaque no estado e promete manter o trabalho em seu segundo mandato

Reeleito com 71,54% dos votos no pleito de 2016, o prefeito de Viana, Gilson Daniel (PV), mostrou nas urnas toda a sua competência como gestor ao longo do primeiro mandato, período em que realizou diversas ações importantes para o cidadão. Prova disso foram as mais de 480 obras feitas ao longo destes últimos quatro anos, que colocaram o município em destaque não só na Região Metropolitana da Grande Vitória, como também em todo o Estado. E para que esse trabalho continue dando bons frutos à população, o prefeito promete fazer ainda mais nesta segunda gestão, como revela nesta entrevista concedida à revista ES Brasil.

Qual a avaliação que o senhor faz de seu primeiro mandato como prefeito de Viana?

Realizamos muitos feitos na cidade, como o Programa Municipal de Obras, a partir do qual nos comprometemos em fazer 400 obras nesses quatro anos. Fechamos o mandato com 484, a exemplo de reformas e ampliações de escolas, novas construções de unidades de saúde e de UPAs, construção do ginásio poliesportivo, entre outras. Avançamos em diversas áreas, como na educação, com a entrega de uniformes e de kits escolares, com a instalação de ar-condicionado e de novas carteiras, ampliação de vagas, melhorias no índice do Ideb, além de trazermos o Ifes para o município. Na saúde também foram feitos diversos investimentos, como o aumento de consultas básicas e com médicos; no esporte, instalamos academias nas praças e colocamos aulas como zumba. Enfim, foram grandes avanços em praticamente todos os setores. Outros pontos positivos foram o aumento no número de geração de emprego e renda e o crescimento do índice de participação do ICMS, que quase dobrou. Nossa expectativa é poder dar continuidade a todo esse trabalho, melhorando sempre o atendimento para a população.

Como o senhor disse, o município alcançou um número expressivo de obras nesses últimos quatro anos. Podemos esperar investimentos tão grandes como esses?

Vamos continuar com o nosso programa de obras e estamos trabalhando na captação de recursos, alguns inclusive obtidos no final do ano passado. Em 2017, vamos fazer a Vila Olímpica na região de Betânia, uma policlínica em Marcílio de Noronha, novas unidades básicas de saúde, pavimentação, ou seja, tem muita coisa a ser realizada para darmos continuidade a esse ritmo. Queremos mudar cada vez mais a realidade do cidadão.

O que será prioridade neste quadriênio?

O nosso governo está muito focado na pessoa e em como gerar emprego e renda na cidade. Vamos lançar um programa neste mês de janeiro que vai auxiliar os trabalhadores a conseguirem uma vaga de emprego ou pelo menos a estarem preparados para este momento da economia. Também iremos entregar um centro de qualificação profissional e vamos gerar renda com novos projetos de cooperativismo, como a feira do produtor rural de Viana. Esse é um dos focos, além de outros investimentos em áreas como educação, saúde, segurança, assistência social e esporte.

De 2012 a 2016, o número de microempreendedores individuais aumentou de 1.059 para 3.057, um crescimento de mais de 200%. Como pretende dar continuidade a esse trabalho?

A cidade avançou muito na criação de negócios. Para se ter ideia desse avanço, o programa Nosso Crédito de Viana, de 2003 a 2012, emprestou R$ 8,5 milhões, enquanto que no nosso mandato, em quatro anos, emprestamos R$ 11 milhões. Foi um salto fora do comum. Estamos preparando o nosso Poupa Tempo em Marcílio de Noronha e vamos fazer um andar inteiro só para o atendimento aos micro e pequenos empresários, e claro,
para quem deseja empreender também. Vamos buscar ainda novas parcerias com o Sebrae, a Aderes e a Junta Comercial, para que a prefeitura possa dar toda assistência ao morador que deseja montar o seu próprio negócio e que esteja em busca de financiamento.

O senhor destacou no ano passado que uma das conquistas mais importantes na área da educação é que todos os alunos de 4 e 5 anos estão em sala de aula. Quais os próximos investimentos a serem feitos neste primeiro ano? Alguma novidade na área de tecnologia?

Acabamos de adquirir dois equipamentos interessantes, como um laboratório de ciências – em um carro – que irá trabalhar toda essa questão da inovação dentro das escolas. Outra novidade é a pauta eletrônica com chamada. Nesse sistema, os alunos colocam o rosto e conseguem marcar sua presença, o que contribui, por exemplo, para que o pessoal responsável pela cozinha possa saber o número de estudantes na hora de fazer a merenda. O projeto piloto do Presença Facial foi um sucesso e será implantado em todas as escolas. E, claro, vamos continuar aumentando o número de livros, melhorando a
infraestrutura e a condição do professor, além de novas ampliações e reformas.

Medidas de combate à criminalidade, como o aplicativo “Sentinela Viana” e a Central de Videomonitoramento da cidade, vêm chamado atenção dos agentes de segurança de todo o Brasil. Em dezembro, foram apresentadas ao secretário de Justiça, Segurança Cidadã e Mobilidade Urbana de Camaragibe (PE). Como é ver todo esse reconhecimento?

O aplicativo Sentinela é um sucesso e possivelmente será utilizado por toda a Região Metropolitana. A gente tem uma alegria muito grande pelo fato de as coisas estarem dando certo, mas também somos humildes de falar que não acertamos em tudo. Vamos tentando, organizando, acertando, errando e corrigindo os erros para que as coisas deem certo.  Hoje a população acompanha os números da segurança, que não mentem, como o índice de homicídios, que diminuiu. Um trabalho que envolve as polícias Militar e Civil, assim como o Ministério Público e a prefeitura, que faz a sua parte melhorando os acessos, a iluminação, ou seja, a infraestrutura.

O turismo é uma ferramenta extremamente importante para colocar as cidades em destaque nacional. Partindo desse ponto, o que será feito para alavancar ainda mais o setor em Viana, tanto no campo dos negócios quanto na área de lazer?

Nós estamos trabalhando muito para melhorar ainda mais o agroturismo com as pessoas que estão empreendendo montando pequenas pousadas, pesque e pague e sítios de lazer.
Queremos avançar ainda no turismo de aventura com eventos esportivos, como de corrida de bike, motos e voo livre. Outra ideia é montar um circuito religioso, integrando nossas três igrejas históricas para trabalhar o turismo nessa área. Também pretendemos investir em ações voltadas para a gastronomia, incentivando os restaurantes de Viana. Queremos atrair novas pessoas para a cidade.

Como foi estar à frente de um município em meio a uma crise econômica? Quais foram os principais desafios enfrentados nesses últimos quatro anos?

A gente avalia uma gestão neste momento, depois de fazer muito durante um período complicado para o nosso país. Imagine uma cidade entregar 484 obras em uma época como esta. Ou então apresentar resultados importantes na abertura de pequenos negócios. São números que não há como contestar. Avançamos muito e conquistamos diversos prêmios e reconhecimentos devido a todo esse trabalho. Dá uma felicidade e um orgulho imenso ver uma gestão que realmente deu certo. Se tivéssemos em um momento bom na economia, com certeza faríamos muito mais.

Uma de suas principais bandeiras de eleição em 2012 foi melhorar a integração de Viana às demais cidades da Região Metropolitana. O senhor acha que conseguiu cumprir esse papel? Quais os avanços obtidos?

Eu acho que nós conseguimos colocar Viana mais em evidência, pois hoje estamos tendo a oportunidade de falar mais com a imprensa e com os grandes veículos do Estado.
Em qualquer tema a ser discutido sobre a Grande Vitória, Viana está presente, até porque é uma cidade com território grande e que tem tudo para estar com condição de fazer um debate. Na Amunes, eu sou o coordenador da Região Metropolitana. Quando que Viana poderia pensar nisso? Vejo que já estamos muito inseridos, mas é claro que devemos avançar mais na política local para que a gente possa resolver os problemas em conjunto, discutindo ações voltadas para as áreas de segurança, mobilidade urbana, saneamento básico, entre outras.

Qual será a contribuição de Viana no Plano Diretor Urbano Integrado (PDUI) da Região Metropolitana? Algum foco em específico?

A Região Metropolitana apresenta problemas que impactam vida de todos os municípios que a compõem, e são essas as questões que nós vamos ter que debater e acompanhar de perto. Tivemos uma discussão muito interessante, puxada por Viana, quando o ministro da Saúde, Ricardo Barros, esteve aqui no Estado, ocasião em que propusemos a integração dos prontuários eletrônicos da Grande Vitória para conhecermos quem são os pacientes, quem realmente depende do atendimento do SUS e do município, quem vai às unidades para fazer acompanhamentos e checkups… Está sendo feito um levantamento em conjunto com as prefeituras para irmos até o ministro e para que ele possa nos ajudar no financiamento e na informatização da saúde, a fim de termos esse prontuário eletrônico em toda a Região Metropolitana.

O senhor saiu vencedor das eleições do ano passado com 71,54% dos votos. Esperava uma margem de diferença como essa em relação à candidata Nina (PDT)? A que associa esse resultado?

Vejo que este é um trabalho que deu resultado para a cidade.  A população estava entre uma escolha de um projeto que deu certo e de outro que ninguém sabia qual era. Se não tivéssemos feito uma boa gestão, essa seria a hora de a população realmente fazer uma mudança, o que não ocorreu, pois os nossos resultados foram reconhecidos. Claro que não dá para agradar a todo mundo, sei que temos nossas limitações, mas o munícipe está feliz com o prefeito e com o governo que tem, e isso foi mostrado nas urnas. Quem trabalha colhe resultado, e nós somos gratos por terem reconhecido isso.

Quais medidas econômicas o senhor pretende implantar neste segundo mandato para que o município consiga manter as contas em dia?

Muitas medidas já foram tomadas no governo anterior, como redução de cargos comissionados, de contratos, entre outras ações… Este ano entramos com mais força ainda e começamos com o pé no chão para fazer tudo com uma prudência muito grande, evitando assim dificuldades financeiras, principalmente com os compromissos assumidos com folhas de pagamentos e contratos. Sabemos que o momento não está fácil para ninguém.

Falando em economia, como estão as suas expectativas para o cenário nacional em 2017?

Eu sou otimista e acredito que 2017 será melhor do que 2016. Essa é a nossa expectativa como cidade, principalmente por estarmos mais organizados. O governador Paulo Hartung (PMDB) fez os ajustes necessários para o Estado e, por conta disso, penso que ainda teremos outros grandes investimentos em 2017 e 2018. No governo federal temos uma parceria muito forte com a senadora Rose de Freitas  (PMDB) e com o senador Ricardo Ferraço (PSDB), além dos deputados federais, que com certeza irão nos ajudar a captar mais recursos. Tenho certeza de que as coisas vão melhorar.

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome