Saiba como proteger o seu pet no inverno

Foto: Reprodução

Cães, gatos e até aves sentem muito os efeitos da estação mais fria do ano. Confira alguns cuidados para aquecer os nossos melhores amigos

O inverno chegou e as temperaturas baixas atingem não somente as pessoas, mas também os pets (animais de estimação). Desta forma, cães, gatos e até as aves sofrem com os efeitos que a estação causa, desenvolvendo doenças de pele, respiratórias, como gripes e pneumonias, entre outras.

Algumas dicas podem salvar o seu animal, como cuidado com a saúde física do bichinho, o ambiente em que ele vive e a alimentação. E nada melhor do que cuidar do seu melhor amigo para que ele te dê muito carinho, não é mesmo?

De acordo com a médica veterinária Lubiane Luppi, as patas, os narizes e as orelhas dos pets merecem atenção. O sistema respiratório dos pets com focinho curto, como Pug, Shitzu e gatos Persas costuma ter alterações respiratórias. “É comum que os focinhos dos animais estejam úmidos, mas não gelados. Se estiverem secos, é sinal de febre. E essas raças comumente sofrem com alergias e mudanças de tempo”, explicou.

Lubiane disse ainda que os pets que dormem fora de casa também precisam de cuidados. “Não basta apenas uma casinha no pátio, é necessário colocar cobertores e roupas secas para ajudar a aquecer os animais nos dias mais frios. Casinhas de madeira, por exemplo, absorvem água e deixam o ambiente ainda mais gelado”, contou.

Além disso, os animais idosos são os que mais sofrem com as baixas temperaturas. Eles demandam mais cuidados e é necessário ter uma atenção maior a eles, pois podem possuir dificuldade de locomoção, alterações neurológicas, e outras impossibilidades.

“A maioria desses animais são cegos, não andam, tem uma alimentação específica. O tutor conhece o animal que possui, por isso a atenção deve ser dobrada”, acrescentou a médica veterinária.

De acordo com Lubiane, o porte e a quantidade de gordura corporal também interferem nesse processo. A pelagem dos animais ajuda a proteger dos ventos gelados, por isso, os que possuem a pelagem mais curta precisam usar roupas de lã, sapatinhos, usarem cobertores e outros acessórios necessários para evitar que o bichinho sinta o ar frio.

A veterinária também alerta para o perigo que os gatos correm no inverno, pois se escondem em qualquer local para procurar abrigo e fugir do frio, inclusive os motores dos carros. “Os acidentes desse tipo são sérios e quase sempre são fatais. É aconselhável sempre dar algumas batidas no capô e laterais do carro para que eles saiam antes da pessoa ligar o automóvel”, aconselha.

Sobre os passeios com os pets, a especialista revela que podem acontecer normalmente, porém, com roupas que os mantenham protegidos. “Uma dica seria diminuir o tempo das caminhadas, mas não é necessário deixar de fazê-las”, contou.

As doenças mais comuns nesse período são causadas por vírus e bactérias, como a tosse nos cães e a rinotraqueite nos gatos. “Espirros constantes, secreção no nariz e também nos olhos, apatia e falta de apetite são alguns sintomas de que algo não vai bem. Ao primeiro sinal de que o animal está doente é necessário consultar um veterinário”, explicou.

Aves também necessitam de atenção. De acordo com a médica veterinária, as aves não controlam a temperatura, por isso podem adquirir resfriados também. “È importante sempre colocar as gaiolas dentro de casa e cobrí-las com um tecido grosso. Gripes e sinusites são bem comuns em periquitos, calopsitas e outras aves silvestres”, finalizou.

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome