Comércio exterior: um sonho possível para todas as empresas

Comércio exterior: um sonho possível para todas as empresas
Aroldo Natal Silva Filho é Diretor-presidente do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes)

A opção pelo mercado externo exige uma preparação para que a empresa faça uma inserção adequada

O momento econômico continua um desafio para os empreendedores do nosso país. Abrir e manter um negócio nos dias atuais é uma tarefa desafiadora para muitos empreendedores. Mas é neste cenário que as empresas passam a dar mais atenção à gestão de custos, às estratégias comerciais, à inovação. Na busca pela competitividade, surgem iniciativas empresarias em busca de novos mercados, para além das fronteiras da nação.

Exportar é uma ferramenta importante para a geração de receita. Não pode ser uma “aventura oportunista” em hipótese alguma. A motivação para exportar baseia-se na existência de uma recessão interna, na variação cambial ou na criação de demanda. Mas mais que uma motivação, a opção pelo mercado externo exige uma preparação para que a empresa faça uma inserção adequada.

Apoio

O Bandes desenvolve ações voltadas para o apoio às exportações e participa de vários programas com o objetivo de promover essa cultura: o Plano Nacional da Cultura Exportadora (PNCE) é uma delas. O PNCE é um programa do Ministério da Indústria Comércio Exterior e Serviços (MDIC) que instituiu uma metodologia para a internacionalização de empresas. Esta metodologia criou a chamada “trilha da internacionalização”, que segmenta o processo exportador em fases (sensibilização, inteligência comercial, adequação de produtos e processos, promoção comercial e internacionalização).

Exportar é uma ferramenta importante para a geração de receita. Não pode ser uma “aventura oportunista” em hipótese alguma.

O Programa de Qualificação para Exportação (PEIEX) é uma ação vinculada ao PNCE e tem por proposta a capacitação das empresas. No PEIEX a empresa é avaliada quanto ao perfil exportador, recebe um acompanhamento de técnicos especializados em exportação. Estes especialistas visitam a empresa e fazem um diagnóstico do que será necessário para que a empresa seja exportadora. Todo este processo é custeado pelo próprio PEIEX, não havendo necessidade de desembolso por parte da empresa.

Há várias ações voltadas para cada uma das fases de maturação do processo exportador.  Ações para promoção comercial ou de capacitação promovidas por instituições Federais e estaduais.

No Bandes, o programa Bandes Export visa apoiar empresas que queiram exportar ou aquelas que já exportam, através de ações de sensibilização e de linhas de crédito a exportação. Todo este contexto trabalha o desenvolvimento da cultura exportadora nas empresas, considerando que a exportação pode ser uma ferramenta de equilíbrio para os vários negócios, quando as empresas se preparam para manter o atendimento tanto no mercado interno como ao externo, gerenciando basicamente a dose de esforço que dará a cada um na medida em que a economia for se comportando. A cultura exportadora promove a manutenção de mercados e viabiliza uma inserção mais qualificada no mercado externo.

Exportar está ao alcance de todas as empresas. Com método, planejamento e estruturação, as nossas empresas capixabas podem entrar no mapa.


Aroldo Natal Silva Filho é Diretor-presidente do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes)

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!