Intimados pelo CNJ envolvidos na confusão sobre liberdade de Lula

Rogério Favreto, Sérgio Moro e João Pedro Gebran

O caso aconteceu em 8 de julho e envolveu um desembargador plantonista, o juiz Sérgio Moro e outros magistrados

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) intimou os envolvidos nas decisões conflitantes sobre a liberdade do ex-presidente Lula. Os desembargadores Rogério Favreto, João Pedro Gebran Neto e o juiz federal Sérgio Moro devem prestar informações sobre a polêmica do dia 8 de julho.

Com a intimação, os envolvidos terão 15 dias para se manifestarem sobre o caso. O prazo começa a contar a partir de 1º de agosto, por causa do recesso do Judiciário.

Polêmica disputa judicial

No dia 10 de julho, o corregedor nacional de Justiça, ministro João Otávio de Noronha, decidiu abrir os 10 pedidos preliminares de investigação. Segundo o CNJ, oito reclamações chegaram contra Favreto e duas contra Moro. Elas serão apensadas em uma investigação mais ampla sobre o caso.

Da análise dos processos, pode ser aberto um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) contra os magistrados. Isso pode culminar em punição, desde advertência até aposentadoria compulsória.

Leia mais:
Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!