Mesmo com acordo, caminhoneiros não liberam rodovias

Foto: Miguel Schincariol/ AFP

A reunião foi realizada nessa quinta-feira (24) e a situação continua da mesma forma

Representantes da categoria dos caminhoneiros e do Governo Federal se reuniram nessa quinta-feira (24) e firmaram um acordo. A paralisação seria suspensa por 15 dias e em troca, a Petrobras mantém a redução de 10% no valor do diesel nas refinarias por 30 dias.

De acordo com a Agência Brasil, a Petrobras mantém o compromisso de custear esse desconto, estimado em R$ 350 milhões, nos primeiros 15 dias. Os próximos 15 dias serão patrocinados pela União.

Entretanto, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) ainda não registrou desmobilização de pontos de manifestação. O Brasil já registra mais de 74 pontos interditados, e a expectativa é que os caminhoneiros não saiam das estradas tão cedo.

No Espírito Santo há registros de manifestações e 15 pontos das estradas estão interditadas. Na BR 262, no km 46, na altura de Marechal Floriano moradores fecharam a rodovia na entrada do município. A manifestação começou às 6h30 e a estrada segue totalmente interditada.

A Polícia Militar do Espírito Santo (PM-ES) também está realizando as patrulhas normalmente. Por meio de comunicado, a corporação informou que até o momento não encontrou problemas para abastecimento e que medidas preventivas já estão sendo tomadas.

Combustível

No quinto dia de manifestação, postos da Grande Vitória amanheceram sem combustível. Alguns postos ainda tinham um pouco de combustível, mas logo cedo acabou por conta da alta procura. Filas gigantes, impaciência foram constatadas pelos clientes que esperavam por um litro de gasolina ou diesel.

O educador físico Filippo Costa disse que tentou abastecer em postos de Vitória e Serra, mas não teve sucesso. Segundo ele, as filas estão muito grandes. “Tentei abastecer em oito postos, mais ou menos, mas nenhum deles tinha gasolina. Muitos estavam fechados e até com luzes apagadas”, contou.

Já a tecnóloga em Logística Lorena Fraga frisou que alguns postos estão mudando o valor da gasolina na hora em que o consumidor abastece o veículo. “O Procon orientou pegar a notinha, mas nem todos estão dando. Só dá pra pegar se abastecer e fizer o pagamento no cartão”, destacou.

Prejuízos

Por meio de nota, a Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo entrou com ação civil pública nesta quinta-feira (24) solicitando a liberação das rodovias federais. O pedido de liminar contra a paralisação, protocolado na 5ª Vara Cível Federal, foi assinado pela Findes, Fetransportes, Faes e Espírito Santo em Ação.

O presidente da Findes, Léo de Castro, estimou em R$ 200 milhões o prejuízo para as indústrias capixabas. “Somente na indústria de alimentos, que trabalha com matérias-primas perecíveis, mais de oito mil trabalhadores estão com atividades suspensas. Há risco de desabastecimento dos estoques de supermercados, escolas e hospitais. O movimento coloca os capixabas em risco e afeta a economia, atingindo a geração de empregos”, argumenta Castro.

Aeroportos

Um novo relatório da Infraero divulgado nessa quinta-feira (24) mostra que a falta de combustível pode afetar o Espírito Santo. De acordo com o texto, o Aeroporto de Vitória possuía combustível suficiente (querosene de aviação) apenas para 18 horas.

Desta forma, um voo que sairia de Vitória, no início da tarde desta sexta-feira (25), com destino a Confins, em Minas Gerais, foi cancelado. A assessoria de imprensa da empresa Azul, responsável pelo voo 04229, informou que o motivo do cancelamento foi a falta de abastecimento.

Assim como Vitória, mais 29 aeroportos têm combustível suficiente para 18 horas. Estão na lista o de Congonhas, em São Paulo, e o Santos Dumont, no Rio de Janeiro. Seis aeroportos não tem mais o combustível, entre eles: Carajás, no Pará, Uberlândia, em Minas Gerais, e Ilhéus, na Bahia.

Diante dessa situação, a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) orienta a os passageiros a confirmar os voos com as companhias aéreas antes de realizar o embarque no terminal.

Estradas interditadas

Polícia Rodoviária Federal informou que os trechos em que há aglomeração dos caminhoneiros são os seguintes:

  • km 125, em Sooretama;
  • km 214, no trevo de acesso à Aracruz, Ibiraçu;
  • km 247, zona rural da Serra;
  • km 285, Rodovia do Contorno, em Cariacica;
  • km 304, região do trevo de Viana;
BR 101
  • km 159, na altura de Bebedouro, em Linhares;
  • km 204, no trevo com a BR 259, em João Neiva;
  • km 305, no trevo com a BR 262 em Viana;
  • km 376, em Iconha;
  • km 414, no trevo da Safra, em Itapemirim.
BR 262
  • km 45, na altura de Marechal Floriano – A princípio trata-se de uma manifestação de populares;
  • km 95, na altura da Fazenda do Estado, em Pedra Azul, Domingos Martins;
  • km 156, em Ibatiba.
BR 259
  • km 46, em Colatina;
  • km 51, em Colatina

Também foi identificado um local de protesto no km 945, em Mucuri, Sul da Bahia.

BR 447
  • km 13,7 (trevo de acesso ao ponto de Capuaba, Vila Velha);

Leia mais:

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!