2017: atletas capixabas começam o novo ciclo olímpico

Esporte

Os capixabas começaram o ano pensando em Tóquio

O sonho da vaga olímpica é o que motiva tanto as jovens promessas quanto os nomes já consagrados: a dupla dourada do vôlei de praia Alison Cerutti e Bruno Schmidt; a ginasta Natália Gaudio; e atletas paralímpicos, como a medalhista de prata da natação Patrícia dos Santos.

Vôlei de praia

O ano para a dupla Alison Cerutti e Bruno Schmidt (foto) foi de pé no freio. Eles ficaram de fora das duas últimas etapas do Circuito Brasileiro para a recuperação de uma lesão na coxa esquerda de Alison. Em 2018, a meta é o Circuito Mundial, parte da preparação para o grande objetivo: Tóquio-2020. “Ninguém conseguiu um bicampeonato olímpico e sei que vamos superar dificuldades e desafios. Depois de se um tornar campeão olímpico, todo mundo quer ganhar de você”, disse Alison, o popular “Mamute”. Eles retornam às competições no fim de janeiro.

EsporteParadesporto

Na natação, Patrícia dos Santos, prata nos Jogos Paralímpicos, foi a melhor atleta do Open Internacional e vice-campeã nos 100m livres no Mundial do México. Marcos Vinicius Barcellos e Valdir Alvarenga Jr. também se destacaram. No tiro esportivo, Eloísa Fernandes foi prata no Sul-Americano, e Bruno Stov também brilhou: fez pódio em todas as competições e foi campeão sul-americano e brasileiro.

Halterofilismo

Superação é o que move Valesca Rocha. Após sofrer acidente de bicicleta, ela se recuperou e conquistou o hexa mundial na categoria Master e Open do Mundial de Halterofilismo, batendo seu próprio recorde ao levantar 165 kg, aos 46 anos de idade. “Em 2018 quero ser mais uma vez campeã mundial”, disse ela, que está escrevendo um livro sobre sua carreira.

Futebol

Pela terceira vez o Rio Branco foi rebaixado no Capixabão. Se a sorte não jogou a favor do Capa-Preta, 2017 foi do Atlético Itapemirim, que ganhou o Estadual e a Copa Espírito Santo, feito inédito no futebol capixaba. Em 2018, o time disputa a Série D, a Copa Verde e a Copa do Brasil. Já o Espírito Santo fará sua terceira participação na Série D.

Bolsa Atleta

A Lei Horácio Carlos Rosa, de Cariacica, contemplou 50 esportistas. Já com o Bolsa Atleta Capixaba, do governo estadual, foram mais de 70 beneficiados.

Esporte

Ginástica Rítmica

Para Natália Gaudio, 2017 já começou com contusão. Após surpreendente recuperação, a atleta conquistou o melhor resultado da história brasileira da modalidade na Copa do Mundo de Kazan, foi hexacampeã sul-americana e conquistou três medalhas no Pan-Americano em Daytona, nos EUA. “Destaque também para Déborah Medrado e para Emanuelle Felberk, que vêm mostrando o futuro promissor do Espírito Santo”, pontuou a técnica Mônika Queiroz.

Ministério do Esporte

No fim de setembro, o ministro do Esporte, Leonardo Picciani, esteve no Espírito Santo e assinou contrato para a construção da Praça da Juventude, em Viana – um investimento de R$ 2,9 milhões em instalações que oferecerá atividades esportivas, ações culturais e de lazer para adultos e crianças. Picciani também visitou as obras do Centro de Iniciação ao Esporte de Cariacica, onde uma verba de R$ 4 milhões está sendo empregada para a construção de ginásio poliesportivo, academia, área de apoio e estruturas de atletismo.


LEIA MAIS

Festival de esportes radicais agita Mestre Álvaro
Atletas do vôlei autografam camisas em ação no Shopping Vitória
ES nas Olimpíadas: conheça os atletas do Estado que prometem fazer bonito nos Jogos Rio 2016
Olimpíadas: médico do COI afirma que água da Baía de Guanabara não afetará saúde de atletas

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!