Associativismo se fortalece em meio à crise

Com mais de 200 empresas fornecedoras dos setores de supermercados e panificação do ES, a Super Feira Acaps Panshow recebeu 23 mil visitantes (Fotografia - Renato Cabrini)

Dados do IBGE confirmam que o setor representa uma contribuição de R$ 32 bilhões ao Produto Interno Bruto (PIB) nacional

O associativismo tem ganhado força nos últimos anos e demostrado ser uma boa saída principalmente em momentos de crise econômica. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o setor tem participação oficial de 1,4% na formação do Produto Interno Bruto (PIB) nacional, o que representa contribuição de R$ 32 bilhões.

No Espírito Santo, o cenário não é diferente, e o ao fomento dessa articulação já rendeu até prêmio ao setor produtivo. Em 2017, o Sistema Findes ficou em terceiro lugar entre as federações das indústrias no país no estímulo ao associativismo. A conquista foi anunciada pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI), com base no radar do Programa de Desenvolvimento Associativo (PDA), que engloba 18 indicadores. Para Bruna Lozer, coordenadora Centro de Apoio aos Sindicatos (CAS) da Federação das Indústrias do Espírito Santo, esse movimento de integração é inerente ao ser humano. “De organizações econômicas entre países até os condomínios em que moramos, tudo passa pelo associativismo”, diz.

A Findes congrega 40 sindicatos na sua base, sendo 34 deles filiados e seis em processo de filiação. Para o presidente da entidade, Léo de Castro, a convergência dos atores dos segmentos é fundamental para a construção de um ambiente institucional favorável ao desenvolvimento das atividades industriais. “A Federação colocou em prática uma série de iniciativas para o fortalecimento dos sindicatos e de seu papel de representação do setor”, afirmou o dirigente.

O CAS realiza o monitoramento de execução das ações demandadas com as entidades do Sistema. Ao todo, reuniu 601 participantes nas rodadas de construção das agendas de 2018. São 1.015 ações em monitoramento (114 reuniões e 200 horas de trabalho) voltadas para o fortalecimento do associativismo.

“Com o apoio da Findes, estamos construindo uma pasta com entregas relevantes e que são bastante necessárias para a categoria e para o Espírito Santo”, destaca Tales Machado, presidente do Sindicato da Indústria de Rochas Ornamentais Cal e Calcários Espírito Santo (Sindirochas).

Capacitação

Para fortalecer as associações capixabas, a Escola de Associativismo – em parceria com o Instituto Euvaldo Lodi (IEL-ES) – promove atividades e conteúdos voltados para a capacitação de grupos organizados. Por meio do site da entidade, é possível acessar cursos que tratam de inovação, sustentabilidade financeira e transparência, fundamentais para o desenvolvimento.

“O associativismo é uma ferramenta indispensável para uma sociedade organizada forte, condição fundamental para a existência de um Estado democrático eficiente na geração de riqueza e bem-estar para todos”, saliente o diretor da escola, Sergio Rogerio de Castro, sobre as razões que motivaram a criação da iniciativa.

O vínculo de empresários de classes diferentes, mas com mercados afins, pode selar importantes feitos e promover iniciativas que se tornam parte do calendário de negócios capixabas. Um dos melhores exemplos de sinergia nesse aspecto é a estabelecida entre panificadores e supermercadistas, que juntos tocam as programações da Super Acaps Pan Show. A Associação Capixaba de Supermercados (Acaps) e o Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria (Sindipães) são as responsáveis pelo mega evento, que só em 2018 previu movimentação de R$ 300 milhões.

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!