Renovação: o recado das urnas capixabas

Abel Fiorot Loureiro é consultor financeiro, mestre em Economia e Finanças

Novos atores políticos terão oportunidade de mostrar seus diferenciais para a população

Winston Churchill nos alertou que “a democracia é a pior forma de governo com exceção de todas as demais”. O grande diferencial da democracia é o direito de votar e de escolher os nossos representantes, como fizemos no último domingo, dia 07 de outubro de 2018. Mesmo eu, morando aqui nos Estados Unidos, pude exercer o meu papel de cidadão votando para presidente.

Em termos nacionais, teremos a disputa do segundo turno entre Jair Bolsonaro e Fernando Haddad. Analisando os números do estado do Espírito Santo, tivemos a já esperada eleição em primeiro turno do socialista Renato Casagrande para governador.

A grande novidade foi a renovação de 100% do senado. “Medalhões” políticos como Ricardo Ferraço e Magno Malta não foram reeleitos. O senado capixaba agora será representado por Fabiano Contarato e Marcos do Val. Na Câmara Federal, também teremos renovação, com destaque para o linharense Felipe Rigoni, que teve 84.405 votos, sendo o segundo candidato mais votado no Estado. Fiquei muito feliz com a eleição do Felipe, pois ele é um novo político, jovem, bem formado, com bons princípios e boas ideias. Tenho certeza que ele será uma joia no Congresso Nacional, onde irá contribuir com os projetos e reformas que o Brasil tanto precisa. Meu palpite é que ele deva se destacar por lá. Outro dado interessante da eleição para Câmara dos Deputados é que “medalhões” como Lelo Coimbra, Cesar Colnago, Marcos Vicente e João Coser não conseguiram se eleger. Ponto de reflexão e análise. Será o sinal de novos tempos?

Também teremos renovação na Assembleia Legislativa. Vários deputados tradicionais não conseguiram a reeleição. Outro ponto que percebi foi a dificuldade do PT, PSDB e MDB. Parece que a população está cansada de candidatos destes partidos e buscam novos nomes e propostas.

Que os eleitos atendam todas as expectativas da população, trabalhando arduamente para entregar melhores serviços e políticas públicas para todos.

Desta vez, Linhares terá somente um representante como deputado estadual e será Marcos Garcia (PV), que também representa renovação na Assembleia. Mesmo sendo o quarto candidato mais votado de Linhares, ele conseguiu 13.442 votos e foi eleito adotando uma boa estratégia eleitoral no que tange a coligações. Linhares tem potencial para eleger ao menos três representantes. Temos de avaliar quais foram os erros cometidos pelos outros candidatos com ótimo potencial que Linhares apresentou.

O prefeito Guerino Zanon, mais uma vez não conseguiu eleger ninguém. Curiosa essa sina. Ele nunca conseguiu eleger candidato que apoiou para deputado estadual ou federal. Ele sempre teve desempenho muito bom quando se candidata, mas parece- me que a sua transferência de votos não acontece.

Resumindo, os capixabas deixaram um recado muito claro nessas eleições: querem renovação! Que os eleitos atendam todas as expectativas da população, trabalhando arduamente para entregar melhores serviços e políticas públicas para todos.

Já dizia Eça de Queiroz: “Os políticos e as fraldas devem ser mudados frequentemente e pela mesma razão”. Pense nisto!

Como sempre digo: Vamos em Frente!


Abel Fiorot Loureiro é consultor financeiro, mestre em Economia e Finanças, escreve semanalmente direto dos Estados Unidos, onde mora.


LEIA MAIS

Os obstáculos para a economia brasileira

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!