Nem sempre seguir a corrente é o melhor caminho

Karina Mazzini é dermatologista especialista da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD)

“Eu sou uma prova de que somos capazes de superar todos os obstáculos e, sim, realizar nossos sonhos de criança”

Hoje, com 30 anos de atuação na área, certamente sou muito mais do que uma médica dermatologista. Sou uma empreendedora que errou para poder aprender e que se reinventou muitas vezes para transformar a minha participação no mercado e a minha profissão.

Então vamos lá! Essa história com final feliz começou ainda na infância, quando alguém me perguntava “o que iria ser quando crescer”, e em segundos eu respondia que queria ser médica. Mas o “como” eu tive que construir, sempre apoiada pela minha família. De família bem humilde, lembro muito de uma frase da minha mãe: “não temos herança para deixar para vocês, o que podemos deixar é o estudo”.

Estudando em escolas públicas e sem condições financeiras para pagar faculdade particular, para seguir em frente, para mim, não existia plano B: era estudar, estudar, estudar. Comecei a fazer provas e a recompensa veio, conseguindo bolsas de estudos em colégios particulares de Vitória. Foi vencendo essas primeiras dificuldades que consegui uma vaga na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) para o curso de Medicina.

Em seis anos de faculdade, passei por muitos perrengues. Às vezes, nem tinha dinheiro para comprar os livros do curso, com empréstimo de colegas em alguns momentos ou fazendo cópias para poder estudar. Em um ambiente de muitas diferenças sociais, tive que confiar nos princípios e valores repassados pela minha mãe, hoje com 88 anos de idade, para poder chegar ao final desta etapa, e ainda, trocar as baladas pelos livros.

Durante o curso, me apaixonei pela Dermatologia. Na época, essa era uma especialidade pouco valorizada porque era totalmente voltada para as doenças. Muitos colegas inclusive duvidaram da minha escolha diante das outras opções que tinham muito mais destaque dentro da Medicina.

Em especial com as mulheres, compartilho com as dificuldades que enfrentamos para o alcance das nossas metas ou o tão esperado sucesso. Sofremos preconceitos ou desconfianças em todas as profissões, e na Medicina não é diferente.

Assumi o risco e apostei no que tinha menos valor aos olhos dos outros, fiz minha residência e passei na prova de título de especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). Os primeiros empregos como dermatologista vieram da aprovação em concursos públicos: passei para uma vaga no Estado e outra na Prefeitura de Vitória, ficando por oito anos nestes cargos.

Foi, então, que resolvi me desafiar novamente. Pedi demissão dos dois empregos públicos, que para muitos, sobretudo naquela época, era sinônimo de estabilidade para toda a vida, mas que eu via com falta de perspectivas. Decidi empreender. Abri um consultório e comecei a fazer cursos no Brasil e no exterior. E nunca mais parei.

Junto à minha mudança de vida, a Dermatologia teve um boom no país, com a chegada de tecnologias para cuidados com a pele, que já envolvia os tratamentos para envelhecimento e não somente doenças. Nessa época, foi uma redescoberta e uma nova paixão minha pela Dermatologia. Uma paixão que me faz entrar todos os dias na minha clínica e trabalhar por até 10 horas e cuidar de cada paciente com muita dedicação, certa de estar fazendo a diferença na vida de cada um.

Em especial com as mulheres, compartilho com as dificuldades que enfrentamos para o alcance das nossas metas ou o tão esperado sucesso. Sofremos preconceitos ou desconfianças em todas as profissões, e na Medicina não é diferente. Logo no início, tive, por exemplo, entraves nas negociações para a compra de novas tecnologias dermatológicas porque achavam que eu não entendia o que estava fazendo.

Aos que estão começando agora e pretendem seguir a Dermatologia, ressalto que trabalhar com procedimentos estéticos é importante, tem mercado e traz muitos benefícios para as pessoas, mas é o conhecimento sobre as doenças que nos diferencia como profissionais. Então, conheçam a pele de verdade, estudem todas as doenças e as complicações que podem ter.

Cada mulher pode e tem muito o que avançar na conquista dos seus sonhos, mas com determinação pode alcançar muito mais do que pode parecer lhe ser permitido. Eu sou uma prova de que somos capazes de superar todos os obstáculos e, sim, realizar nossos sonhos de criança.


Karina Mazzini é dermatologista especialista da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD)

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!