Filtro inaugurado retém 90% das emissões de chaminé na ArcelorMittal Tubarão

filtro de manga na ArcelorMittal Tubarão
Foto: Jackson Gonçalves

Esta é a primeira experiência com o gas cleaning bag filter, ou filtro de manga, em uma usina no Brasil, mas é utilizado principalmente na Europa.

Mais de mil quilos de emissões no complexo da ArcelorMittal Tubarão. Esta é a quantidade de material que o novo equipamento inaugurado nesta quinta-feira (8) vai filtrar da chaminé de sinterização da siderúrgica a cada dia. Representa 90% a menos de emissões desse processo e a instalação contou com investimento de R$ 101 milhões. Esta é a primeira vez que uma usina desse tipo adere ao gas cleaning bag filter, ou filtro de manga, no Brasil.

A tecnologia é apontada na Europa como a mais eficiente e reduz a concentração de 42 mg/Nm³ (miligrama por normal metro cúbico), que significa em torno de 1.200 quilos por dia, para até 5 mg/Nm³, ou 156 quilos diários, de partículas lançadas no ar da Grande Vitória. Com o bag filter, os gases resultantes do processo de sinterização não são mais visíveis como antes do funcionamento do sistema.

Esta é uma demanda antiga da população da Grande Vitória e atende a um acordo feito entre a ArcelorMittal Tubarão e o Governo do Espírito Santo, por meio da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Seama).

filtro de manga na ArcelorMittal Tubarão
Chaminé de sinterização (Foto: Jackson Gonçalves).

“A chaminé de sinterização representa 20% de todo o impacto ambiental gerado por nossas operações. O bag filter vai reduzir em 90% as emissões dessa chaminé, o que significa diminuir 18% de todas as emissões do complexo”, explicou o vice-presidente de operações da unidade de Tubarão, o engenheiro Jorge Luiz de Oliveira. Segundo ele, o filtro de manga está funcionando desde o dia 8 de dezembro, 40 dias antes do compromisso assumido de com o governo.

Segundo o presidente da ArcelorMittal Tubarão, Benjamin Baptista Filho, toda atividade produz algum tipo de emissão e existe regulamentação para isso. “Podemos garantir que tudo aquilo que é feito aqui em Tubarão está rigorosamente dentro da lei e de todos os padrões ambientais exigidos por nossas licenças”, afirmou. “O conceito de poluição são todos os resíduos gerados num processo industrial que não estão dentro da legislação”, explicou.

Como apontou Oliveira, mesmo antes do filtro de mangas estar em funcionamento, a empresa já cumpria os requisitos legais de emissões, que devem ter concentração inferior a 50 mg/Nm³. “O investimento realizado é porque uma das nossas condicionantes na nossa licença operacional dizia que deveríamos encontrar uma solução para diminuir a visibilidade da pluma da chaminé de sinterização”, declarou Baptista.

Inauguração

O governador Paulo Hartung esteve presente na solenidade de inauguração do filtro de manga, acompanhado da equipe de governo. Entre as autoridades, compareceram o vice-governador César Colnago, o secretário de Meio Ambiente, Aladim Cerqueira e o diretor-presidente do Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema), Jader Mutzig.

filtro de manga na ArcelorMittal Tubarão
Governador Paulo Hartung durante discurso (Foto: Jackson Gonçalves).

O governador revelou, em seu discurso, que esteve no momento da inauguração da usina siderúrgica enquanto era deputado. Isso aconteceu na gestão de Gerson Camatta. “Mais uma vez o Espírito Santo está na frente demonstrando seu protagonismo. É possível melhorar dando um passo de cada vez e caminhar rumo a melhorias na qualidade de vida”, disse. “Quero valorizar a luta da população para melhorar o ambiente de Vitória e também o papel do Ministério Público Estadual”.

Plano ambiental de R$ 400 milhões

A ArcelorMittal Tubarão está executando, desde 2014, um plano de investimentos ambientais no valor de R$ 400 milhões, que inclui a instalação dos filtros de manga. Este foi um compromisso assumido com o governo estadual, por meio do Instituto Estadual de Meio Ambiente (Iema).

O Sistema de Gestão Ambiental da empresa tem o Certificado ISO 14.001, desde 2001, e é benchmarking no setor da indústria do aço. Para se ter uma ideia, o índice de reaproveitamento de resíduos gerados no processo produtivo é superior a 89%.

35 anos de siderurgia

A ArcelorMittal Tubarão, entre Vitória e Serra, tem a capacidade de produzir 7,5 milhões de toneladas de aço em placas e bobinas a quente todos os anos. A indústria está em funcionamento desde 1983, quando o alto-forno foi ligado pela primeira vez, e é o 3º maior produtor brasileiro de aços planos laminados.

A empresa é um dos grandes nomes da siderurgia nacional e emprega diretamente 5,4 mil pessoas e outras 5,1 mil indiretamente. O aço produzido aqui é de alta qualidade e está entre os melhores do mundo.

Fotos : Jackson Gonçalves

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!