Ainda sobre amizade

Ainda sobre amizade

A amizade madura é bem diferente daquela que eu imaginava anos atrás. Eu, na minha infantilidade, pensava que amizade era estar sempre próximo, falar com frequência, dividir todas as estações. E que surpresa boa descobrir que não necessariamente é assim!

A amizade madura, por vezes, é justamente o oposto. Ela é livre de cobranças, não tem o peso das obrigações da vida. Escuta: “Já te ligo, ocupadíssima agora”. E a ligação é retomada nove dias depois.

A amizade madura mantém contato diário ou some por anos. Ela pode estar no reencontro inesperado: “Cara, que saudades! Casei, tive filhos. E você?”.
A amizade madura sabe que há épocas na vida em que você dá, dá, dá, e outras em que você recebe, recebe, recebe. Mas que, no final das contas, na longa jornada, a balança se alinha. Porque a amizade madura se entende. No consolo, na risada, na ausência, no abraço, no puxão de orelha.
A amizade madura é gostosa, fácil de levar. Está no “Pô, que sacanagem! Por que você fez isso?”.
E também no “Desculpa, pisei na bola”.
A amizade madura pode perdoar instantaneamente ou precisar de alguns anos para sarar.
A amizade madura mora na mensagem depois de tempos sem se falar: “Ei, sonhei com você, tá tudo bem?”
A amizade madura respeita as diferentes fases da vida.
Há amigas com filhos, amigas solteiras, amigas focadas na carreira.
A amizade madura é aquela que revive recordações cada vez que se encontram: “Lembra aquela vez quando a gente recordou casos da nossa infância?”. E as risadas rolam soltas e viram lágrimas de riso.

A amizade madura pode ser reservada, mas pode atingir níveis astronômicos de intimidade: “Lembra quando fiquei sem grana até pra comprar pão?”.
A amizade madura se entrelaça na sua história, se mistura com sua essência.
É especial, porque é a mais livre dos arbítrios.
É escolher manter no coração alguém que, se não fosse pela amizade, seria apenas mais um estranho desses que a gente vê no cruzamento.
Sim, a amizade madura é uma escolha, sem interesses, sem segundas intenções ou lengalenga.
É uma decisão nossa íntima.
E é isso que faz dela tão forte que nem o tempo, nem a distância, nem as curvas da vida conseguem apagar.
Essa é a nossa amizade.

Compartilhe

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome