Luto oficial: acidente na BR 101 deixa 11 mortos

Todas as vítimas do acidente estavam no micro-ônibus e faziam parte do tradicional grupo de dança Bergfreunde, de Domingos Martins.    

O governador Paulo Hartung decretou luto oficial de três dias em consequência do acidente ocorrido no Km 459 da BR 101, em Mimoso do Sul, na tarde deste domingo (10). A colisão deixou 11 mortos e 10 feridos, três deles em estado grave. O acidente envolveu um micro-ônibus, um carro de passeio, uma carreta de cerveja e um caminhão com chapa de granito.

As 11 vítimas fatais estavam no micro-ônibus e integravam o tradicional grupo de dança Bergfreunde, de Domingos Martins. Voltavam de uma apresentação em Juiz de Fora, em Minas Gerais.

“Estamos profundamente tristes”, afirmou o governador por nota. “Tenho imenso carinho pelos integrantes do grupo Bergfreunde de Campinho, que foi o primeiro grupo folclórico alemão no Espírito Santo”.  Hartung destacou ainda a importância do grupo, com a maioria dos seus integrantes jovens, de preservar a cultura alemã por meio da dança. O grupo se apresentava por todo o Brasil e também no Exterior e, venceu recentemente o edital de locomoção da Secretaria de Estado de Cultura. “Foi um reconhecimento pelo belo trabalho desenvolvido. Esse acidente representa uma perda enorme para o nosso Estado. Meus sentimentos a todos os amigos e familiares. Estamos todos de luto”.

Causa do Acidente

Segundo a PRF, o caminhão carregado de placas de granito foi o causador do acidente. Ele estaria ultrapassando outro veículo, no sentido Rio, quando perdeu o controle. Invadiu a contra mão e colidiu com o micro-ônibus que vinha em sentido contrário.

Após ser atingido, o micro-ônibus invadiu a contra mão e bateu na carreta com cerveja. Os dois veículos pegaram fogo. E o Ford Ka acabou batendo nos pedaços de granito espalhados na rodovia. A PRF informou que o caminhão de granito foi apreendido para perícia.

REAÇÕES

Na manhã desta segunda-fera, Hartung conversou com Michel Temer e acertou uma agenda entre o governador e o presidente, nos próximos dias. Recentemente, a ECO 101 se posicionou publicamente que não fará a duplicação da BR. O governador então solicitou à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) tratar do contrato entre a Eco 101 e a União.

“É inaceitável que num prazo de 80 dias duas tragédias tenham acontecido com tantas vítimas fatais numa mesma estrada do Espírito Santo”, criticou Hartung. Durante a abertura oficial da 44ª edição da Cachoeiro Stone Fair, há 10 dias,  o governador cobrou o setor de rochas para avançar em relação à segurança no transporte de rochas e pedras.

“Esse setor já cresceu e desenvolveu muito e agora tem que avançar na segurança do transporte de sua carga. Esse é um papel importante”, afirmou

O senador Ricardo Ferraço também se manifestou após o acidente. Por nota, afirmou que a situação da BR 101 no ES “é insustentável”. Segundo ele, “já passou da hora da ECO 101 ser AFASTADA. Ela já teve todas as oportunidades para duplicar a BR e não o fez”, afirmou Ferraço.

O senador criticou ainda a falta de fiscalização por parte do governo federal. “O próprio governo, por meio da ANTT, também não exerceu sua função de fiscalizar o cumprimento desse contrato”.  Ferraço fechou a nota, em tom mais ríspido. “Ou seja: é um jogo de empurra empurra e interesses que está custando vidas. Não dá mais. Chega! Basta! Não é possível continuar vendo vidas inocentes sendo ceifadas por incompetência e falta de compromisso com os capixabas”.

Histórico

No dia 22 de junho, 23 pessoas morreram em outro acidente nessa mesma rodovia. O Balanço 2016 da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no Espírito Santo, aponta que 85% das mortes ocorridas nas estradas foram nas BRs 101 e 262.

Claro que há imprudência dos motoristas, com excesso de velocidade, ultrapassagem proibida ou forçada e o consumo de álcool. Mas essas estradas abrigam diversos trechos batizados de “curvas da morte”. E o trecho entre os quilômetros 260 e o 270 da BR 101, na Serra, é considerado o mais perigoso do Brasil entre as rodovias federais.

Enquanto isso, as duplicações da BR-101. sob concessão da Eco 101, desde 2013; e da BR-262, mantida pelo Dnit, não acontecem. A situação já se transformou até em CPI nas esferas estadual e federal. Mas nada mudou!

Leia também:

BR-101: Entre imprudências, negligências e impunidade.

Fotos: Reprodução WEB/WhatsApp

 

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome